Como se defender da Pneumonia

Voz à Saúde

autor

Joana Afonso

contactarnum. de artigos 8

A Pneumonia é uma inflamação respiratória que leva à acumulação de líquido e secreções nas vias respiratórias designadas por alvéolos e bronquíolos. Vai prejudicar a ocorrência de trocas gasosas, o que se pode traduzir pela dificuldade em respirar.
A maioria dos quadros de Pneumonia tem origem em bactérias, as chamadas pneumonias pneumocócicas. Surgem através da aspiração dessas bactérias, Streptococcus pneumoniae, existentes na parte su- perior da região atrás do nariz, a nasofaringe, que se tornam perigosas. No entanto, as Pneumonias também podem ter origem em vírus ou fungos, sendo propagadas através de gotículas infetadas que vão ser respiradas, provenientes de outros doentes.

O pico de maior incidência corresponde aos períodos de Outono e Inverno, apesar de poder aparecer em qualquer altura do ano, razão pela qual devemos estar protegidos. As crianças, os idosos e a população com doenças crónicas como Hipertensão, Diabetes, Asma, Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) ou Doenças Cardíacas, constituem os grupos mais afetados e em que as formas da doença são mais graves, obrigando, por vezes, ao internamento hospitalar. No entanto, qualquer pessoa está em risco de contrair a doença, especialmente se frequentar ambientes densamente povoados, poluídos ou se fumar. De acordo com os números apresentados pela Direção Geral da Saúde, em Portugal, a taxa de mortalidade por Pneumonia chega a ser o dobro da média Europeia, chegando mesmo a matar cerca de 23 pessoas por dia, nos nossos hospitais.

A Pneumonia não apresenta nenhum sinal ou sintoma que lhe seja inequivocamente característico, pelo que devemos estar alerta em caso e febre, geralmente alta, arrepios, tosse, com ou sem expetoração de cor amarela, verde ou acastanhada, dificuldade em respirar ou até falta de ar, dor torácica, de cabeça ou muscular. De salientar que, as formas de apresentação da Pneumonia são todas diferentes quer porque cada doente responde de forma diferente, quer pelo facto dos diversos microorganismos também diferirem no comportamento e agressividade.

Só o seu Médico saberá estabelecer, corretamente, o diagnóstico de Pneumonia, razão pela qual não deve hesitar em procurá-lo e, em 80% dos casos em que a sua procura é atempada, o tratamento pode ser cumprido em casa, não necessitando de internamento hospitalar.

Existem formas de prevenção da doença que deve seguir:
1. Ter todas as vacinas em dia;
2. Controlar doenças crónicas como Hipertensão e Diabetes;
3. Lavar frequentemente as mãos;
4. Evitar contacto com pessoas com sintomas de Pneumonia;
5. Promover hábitos de vida saudáveis: não fumar, ter uma alimentação equilibrada, praticar exercício físico regular e respeitar os períodos de sono;
6. Evitar ambientes frios, muito secos ou húmidos, poluídos, mal ventilados e sobrepovoados;
7. Arejar diariamente os locais onde vive e trabalha;
8. Acima de tudo, vacinar-se especificamente contra a Pneumonia, se tiver um risco acrescido de contrair a doença.

Desta forma, aconselhe-se com o seu Médico de Família, ele saberá orientá-lo na melhor forma de proteção e recomendar-lhe-á a vacinação se assim estiver indicado, porque a prevenção é sempre a melhor forma de promoção da saúde.
Lembre-se, cuide de Si! Cuide da Sua saúde!

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Voz à Saúde

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia