Obrigado por reforçarem a democracia!

Ideias

autor

José Manuel Fernandes

contactarnum. de artigos 91

As eleições autárquicas são as que têm menor taxa de abstenção, as que envolvem mais candidatos, obrigam à proximidade e, por isso, constituem um hino à democracia.
Temos excelentes autarcas em Portugal. Nem sempre temos consciência da mais-valia do trabalho do autarca para a coesão social e económica. Nem sempre valorizamos o trabalho fundamental dos presidentes de Junta, que estão sempre na primeira linha de apoio à população e aos que mais precisam. Esta é a regra que as excepções confirmam. Temos cada vez mais mulheres e mais jovens a exercerem funções autárquicas, o que se traduz num acrescento de qualidade, sensibilidade e inovação.

Nas eleições do passado dia 1 de Outubro, a abstenção a nível nacional baixou de 47,4%, em 2013, para 45,04%, em 2017. Ainda é demasiado elevada, quase metade dos portugueses não foi votar, mas o sentido descendente é sempre positivo e é importante assinalar. Também muito importante e algo que nos deve deixar satisfeitos é que no Minho a abstenção foi muito menor do que a nível nacional.

No distrito de Braga a abstenção foi de 35,65% e no distrito de Viana 41,22%. A participação foi assim muito superior à nacional e constituiu um aumento relativamente aos números de participação de há 4 anos. Isto deve ser encarado como um incentivo aos partidos e organizações políticas para o combate ao abstencionismo. Mas não são apenas os apelos ao voto que fazem a diferença, não tenhamos dúvidas que a qualidade dos candidatos da nossa região contribuiu para a diminuição dos números da abstenção.

Falando em termos partidários, o PSD teve um resultado extraordinário no distrito de Braga. Sozinho ou em coligação o PSD teve mais votos e mais mandatos, ao nível das Câmaras Municipais, das Assembleias Municipais e das Assembleias de Freguesia. O PSD conseguiu aumentar assim o número de presidências de Câmara, o número de votos e o número de eleitos, o que representa claramente o reconhecimento da população do trabalho desenvolvido ao longo dos últimos quatro anos pelos autarcas e da qualidade dos projectos e dos candidatos apresentados pelo PSD.

A conquista das Câmaras de Terras de Bouro e de Amares, a manutenção de Câmaras como Póvoa de Lanhoso ou Celorico de Basto, e o reforço avassalador das maiorias em Braga, Vila Nova de Famalicão, Esposende, Vieira do Minho e Vila Verde são o sinal claro de que o PSD apresentou os melhores projectos e os melhores candidatos.

De notar que também em Viana do Castelo as conquistas das Câmaras de Monção e Ponte da Barca mostram que não só o distrito de Braga esteve em contraciclo nacional, mas todo o Minho.
Registo que na nossa região houve uma clara diminuição de votação do Partido Comunista, que perdeu votação e perdeu mandatos. Considero que esta diminuição é uma consequência da geringonça. O “abraço de urso” de António Costa está a asfixiar o PCP.

No entanto, a nível nacional o PSD não teve o resultado esperado. Depois de anunciados os resultados eleitorais, o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, considerou que não tinha condições para continuar à frente do partido, sobretudo em virtude dos maus resultados obtidos em Lisboa e no Porto. Acontece que a responsabilidade dos resultados autárquicos tem de ser partilhada com as estruturas concelhias e distritais que gerem o processo da escolha dos candidatos.

Todos sabemos que Pedro Passos Coelho recebeu Portugal muito perto da bancarrota e deixou-o livre da “Troika”, com acesso aos mercados e com a economia a crescer. O tempo há-de fazer-lhe justiça.
De resto, obrigado aos milhares de candidatos que decidiram participar, dar a cara em nome da sua terra. Obrigado por reforçarem a democracia!

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Ideias

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia