Correio do Minho

Braga, quinta-feira

10 Desafios Globais discutidos em Davos no Fórum Económico Mundial

Encontrão Ambiental

Ideias

2015-02-14 às 06h00

Vasco Teixeira

Anualmente, a cidade de Davos, situada na Suiça, recebe um grande número de líderes globais, no qual se inserem políticos, executivos de topo, representantes de ONG e ainda personalidades e especialistas de diversas áreas. O 45º Fórum Económico Mundial (FEM), que se realizou de 21 a 23 de janeiro de 2015 em Davos, é um fórum de discussão sobre os maiores desafios que se colocam ao nosso planeta e onde se debateram inúmeros temas em mais de 280 sessões.

Fundado em 1971, o Fórum de Davos apresenta-se como um ”Laboratório de Ideias” para debater temas relevantes para a Humanidade. O presidente e fundador do FEM, Klaus Schwab, responsável pela escolha do tema para esta edição“O novo contexto global”, defendeu que “2015 será um ano crucial para a humanidade, que estará na intersecção de dois caminhos, um que levará à desintegração, ao ódio e ao fundamentalismo, e o outro que conduzirá à solidariedade e à cooperação”.

Antes do fórum é habitual ser divulgado o Relatório de Riscos Globais 2015, contendo a perspetiva global para os próximos 10 anos. O Fórum Económico Mundial inscreveu na lista os maiores desafios que se colocam à Humanidade no próximo ano. O aprofundamento das divergências face ao crescimento económico entre países lidera o topo das preocupações.

O aumento do desemprego, a quebra da confiança das populações com as suas lideranças, os conflitos geopolíticos, segurança alimentar e agricultura, as alterações climáticas, a inovação e competitividade, o futuro da internet, a criatividade e empreendedorismo, o novo contexto energético, acesso à água, crime e corrupção, e a inclusão social foram alguns dos temas em debate.

No âmbito do Fórum são divulgados vários relatórios, nos quais se incluem: Futuro da Eletricidade; Índice de desempenho energético global; O negócio da criatividade; Maximizando anos de vida saudável; A internet das coisas; Relatório de Competitividade Global; O laboratório de competitividade; Construindo alicerces contra a corrupção; Benchmarking e crescimento inclusivo.

É esta a lista dos 10 desafios para a humanidade:
1 - O aumento da desigualdade dos rendimentos
2 - O crescimento consistente do desemprego
3 - Falta de liderança política
4 - O aumento da competição geoestratégica entre as grandes potências
5 - O enfraquecimento da democracia representativa
6 - O aumento da poluição no mundo desenvolvido
7 - O aumento da ocorrência de eventos atmosféricos extremos
8 - O aumento das manifestações nacionalistas
9 - O aumento dos problemas de acesso à água
10 - A importância crescente da saúde na economia

No debate do Fórum sobre a concentração da riqueza foi destacado que a excessiva desigualdade de rendimentos propicia-se como um obstáculo para o crescimento sustentável e o enfraquecimento da coesão social. A diretora do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, afirmou no debate que “a distribuição da riqueza é importante em si mesma, porque aumentar os rendimentos dos pobres tem um efeito multiplicador que não se produz quando se aumenta o rendimento dos que já são ricos'.

Estudos mostram que a riqueza combinada dos 1% mais ricos da população mundial vai ultrapassar a dos restantes 99% já em 2016, caso se mantenha a tendência atual de aumento da desigualdade a nível global. As estatísticas mostram que mais de mil milhões de pessoas ainda vivem com menos de 1,25 dólares (cerca de 1 euro) por dia.

Verificou-se uma novidade no encontro de Davos, ligada ao Empreendedorismo Social que ganha destaque com a participação de 25 empreendedores sociais de vários países. Empreendedorismo Social é o processo de procura e implementação de soluções inovadoras e sustentáveis com vista à melhoria das respostas e da qualidade dos serviços prestados pelas organizações que atendem a necessidades sociais.

Muitos dos desafios globais colocam-se também a nível europeu, e nos outros acabamos por ser afetados. O aumento do desemprego, alterações climáticas, energia, saúde, por exemplo. No âmbito da Estratégia Europa 2020, a criação de emprego foi assumida como uma das prioridades da estratégia para um Crescimento Inteligente, Sustentável e Inclusivo, considerando-se que a nova agenda deveria permitir alcançar níveis elevados de emprego, de produtividade e de coesão social.

O Relatório de Competitividade Global de 2014-2015, divulgado pelo FEM apresenta à frente, no ranking, a Suíça, seguida por Singapura. Os Estados Unidos, que subiram dois lugares, a Finlândia e a Alemanha, ocupam o terceiro, o quarto e o 5º lugar, respetivamente.
Registe-se a subida de Portugal no ranking de competitividade do Fórum Económico Mundial. São boas notícias pois Portugal subiu 15 posições surgindo no 36.º lugar de uma lista de 144 países analisados, invertendo uma tendência de queda consistente que se verificava desde 2005, (com exceção no ano de 2011).

Também, em Davos, foi divulgado o 'The Global Energy Architecture Performance Index 2015”. Portugal subiu 8 posições neste ranking, face a 2014, estando agora em 10º lugar no índice do FEM que analisa o desempenho de 125 países no que respeita à competitividade, acessibilidade e sustentabilidade do setor energético. Na primeira posição do ranking está a Suíça, seguida da Noruega e da França. Portugal tem concretizado reformas e apoiado programas na área da energia e das alterações climáticas, que já permitiram atingir um valor de 62% de utilização de fontes energéticas renováveis na eletricidade e o nível mais baixo de dependência energética do exterior (71%) dos últimos 20 anos.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

27 Junho 2019

Braga e o Plaza

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.