Correio do Minho

Braga, quarta-feira

A revista Amanhecer faz cultura na nossa escola

Vinho Verde: que lindo gesto...

Voz às Escolas

2018-11-19 às 06h00

Jorge Saleiro

A propósito do lançamento da sua trigésima sexta edição, divulgamos hoje o mais antigo projeto da Escola Secundária de Barcelos – Agrupamento de Escolas de Barcelos, a revista Amanhecer.
Nascida em abril de 1982, ainda nas instalações da Casa Sá Carneiro, ainda sob a transitória designação de Escola Secundária de Barcelinhos, surge a primeira edição da Amanhecer. Na génese deste projeto editorial estão os professores António Mota e Vale Ferreira.
Desde então, a revista tem sido publicada anualmente, sob a direção de diversos responsáveis e sempre com uma participação de uma vasta representação da vida escolar. Pessoal docente e não docente, pais e alunos, comunidade escolar alargada, sempre tiveram na Amanhecer um fórum de expressão livre, criativa e plural.
Dos diversos Diretores da revista, salientamos Vale Ferreira, seu fundador, Manuela Ascensão Correia, Ana Maria Cameselle e Glória Cardoso, pelo número de edições que dirigiram e pela dinâmica própria que imprimiram ao projeto. Salientamos, ainda, Alexandra Cordeiro que dirigiu a publicação do n.º 12 da Amanhecer enquanto aluna da Escola Secundária de Barcelos. No entanto, todos os Diretores da Amanhecer merecem destaque por terem assegurado a continuidade do projeto, com publicação anual desde 1982.
Esta diversidade de responsáveis outorgou à revista igual diversidade de opções editoriais. No entanto, esta diversidade nunca comprometeu o essencial do projeto pois, tal como é afirmado na apresentação da Amanhecer, “ principal razão de ser da revista funde-se com a da própria escola: servir os alunos, estimulando o seu sentido crítico, desenvolvendo a sua consciência de cidadania e motivando-os para a leitura, para a escrita, para a aprendizagem, de um modo geral. Paralelamente, a revista procura dar visibilidade à escola, noticiando as atividades que nela se desenvolvem”.
Para além das trinta e seis edições anuais, a Amanhecer teve ainda duas edições especiais. A primeira, em 2010, assinalando o centenário da Implantação da República Portuguesa. A segunda, em 2016, dedicada à celebração dos cinquenta anos da Escola Secundária de Barcelos.
A edição deste ano, que será lançada no dia 23 de novembro próximo, será subordinada ao tema “Cultura”. O tema foi escolhido pelo facto de 2018 ter sido declarado Ano Europeu do Património Cultural pela União Europeia.
Mas esta opção, com o objetivo de promover a diversidade e o diálogo intercultural, pretende abarcar a cultura numa perspetiva multidimensional, nas suas várias aceções, nos seus diversos sentidos, nas suas diferentes expressões, não esquecendo que consideramos que a escola é, também, um espaço de cultura, um lugar de culturas.
A missão da Escola pública inclui a promoção da cultura como forma de manifestação artística e a formação para uma cidadania democrática, multicultural. O “Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória” vem formalizar estes propósitos e generalizá-los nas escolas portuguesas. O Agrupamento de Escolas de Barcelos contempla, há anos, estes objetivos no seu Projeto Educativo e vem trabalhando, através do Plano Anual e Plurianual de Atividades, para aprofundar estas vivências no seu seio. Sem dúvida que a Amanhecer é dos mais eficazes contributos para fortalecer este desiderato.
Mas podemos falar, também, de cultura de escola. Cultura de escola como o conjunto de hábitos, tradições, costumes, rituais que enformam a organização. Não temos dúvidas da riqueza e singularidade da cultura da nossa escola. Ao longo dos mais de 50 anos de afirmação, ela vem sendo consolidada, evitando simultaneamente o imobilismo e a estagnação. Ao longo de trinta e seis anos, a Amanhecer tem sido um elemento constante dessa afirmação. É neste contexto que podemos afirmar que a Amanhecer é cultura, em todos os sentidos. A Amanhecer faz parte da cultura da nossa escola.
Este número marca o início de uma nova liderança do projeto. A professora Maria do Céu Costa assume a direção da Amanhecer, dando continuidade ao trabalho que tem vindo a desenvolver na equipa da Amanhecer. Aliás, a transição de responsável é feita com exemplar harmonia, de que é sinal a coautoria do editorial deste número com a Diretora cessante, Glória Cardoso, que abraçou o projeto nos últimos anos.
Assim, este assinalar da publicação do n.º 36 da revista da Escola Secundária de Barcelos reforça a convicção de que o futuro do projeto está assegurado e que a Amanhecer continuará a fazer escola.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.