Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

Avaliação, para que te quero?

Igreja do Bom Jesus faz hoje anos

Avaliação, para que te quero?

Voz aos Escritores

2019-04-25 às 06h00

Agostinho Guedes Agostinho Guedes

As atuais propostas de reforma vão fracassar, tal como aconteceu no passado, porque tentam reformar o ensino dizendo apenas aos professores ( e a todos os outros) o que devem fazer, em vez de os habituarem a fazer o que deve ser feito.” ( Murray,1986, p.29)
A Avaliação é um processo que faz parte das nossas vidas: ao interagirmos com os outros, ao formularmos juízos de valor, ao refletirmos nos erros que cometemos, ao tomarmos decisões, estamos a avaliar. A avaliação, quer das pessoas quer das situações, é feita de acordo com os nossos próprios quadros de valores e permite-nos modificar os nossos comportamentos e atitudes – permite-nos aprender.
A nível escolar, todos os dias, os vários níveis da organização são objeto de tomadas de decisão de caráter avaliativo, que afetam as pessoas e as atividades, em cada um desses níveis.
De forma inconsciente, a avaliação faz associar conceitos como classificação, hierarquização, insucesso.
Ora, se olharmos para a avaliação como um processo que decorre naturalmente de algo importante que vai ter um impacto direto no futuro dos indivíduos(alunos), teremos a responsabilidade de criar as condições necessárias para contribuir favoravelmente para esse desenlace. A ideia central passará por assumir o verdadeiro espírito da avaliação formativa, enquanto processo contínuo e progressivo e nunca o seu contrário.
Este caminho não é linear, obviamente! A idiossincrasia de cada um de nós acarreta uma infindável quantidade de problemas situados ao nível da engrenagem que sustenta o processo de ensino e aprendizagem.
Como poderemos ultrapassá-los?
Pensamos que a resposta pode passar por um processo de auto-reflexão sobre as nossas práticas. Claro que, chegados aqui, vamos assistir a inquietações, inseguranças, mas melhor que isso vai originar mudanças a todos os níveis, com especial enfoque no trabalho com alunos.
Concluindo, acreditamos que é possível acompanhar as mudanças dos tempos e consequentemente as alterações da própria sociedade. Cabe à escola atualizar os seus processos e ajudar a sociedade na sua transformação.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz aos Escritores

11 Outubro 2019

A toalha do silêncio verde

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.