Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +

Coisas que se vão sabendo

2020: O ano para começar a poupar

Coisas que se vão sabendo

Ideias

2019-12-14 às 06h00

Borges de Pinho Borges de Pinho

1. A Joacine terá desiludido o próprio ‘Livre’ e mesmo Rui Tavares, aliás uma figura do agrado do Costa, sendo certo que a sua personalidade não se enquadra com a posição de deputada do ‘Livre’, e é difícil conciliar os seus posicionamentos com o ideário e querer do partido. Houve ‘cobras’ e ‘lagartos’ face à sua abstenção no caso do voto relativo a um ataque a Gaza, e foi manifesto o descontentamento do partido com a atitude e palavras da Joacine, chamando apenas a si o mérito de ter chegado a deputada, pois o partido, tê-lo-ia dito, só ficara ‘contente’ e feliz por ter alcançado o direito a subsídio estatal. Aliás “a zanga da Joacine e do Livre é a história das comadres e das verdades”, como escreve Carlos Rodrigues (CM, 26.11.19), mas Rui Tavares sempre a apoiou, ainda que não usando a ‘saia’ do assessor, um ‘maçónico’ esdrúxulo que recorreu já a um GNR para ‘safar’ a Joacine dos jornalistas. Com tudo isto, diga-se, que aliás se compreende, a Joacine não é mais do que o resultado natural do sistema folclórico-orgânico do partido ‘grumet’ do Bloco, e que, assim projectada e conhecida, ‘ganhou’ direito a prolongamento e a tempo de compensação, embora se saiba que há ‘jogos ganhos’ deste modo no futebol indígena!... Acenaram-lhe já com um ‘cartão amarelo’ e processo disciplinar a instruir por Sá Fernandes (o homem do chapéu, desde que se ‘aproximou’ da Sofia da SIC, tornou-se um advogado falado, um ‘truta’ em direito, em mais um ‘Saragoça’ que percebe de tudo !...), mas o ‘Livre’ arrisca-se, como partido ‘grumet’ do Bloco, a ter um só deputado, e... ‘independente’!... Houve reuniões e só uma ‘repreensão’, admitindo-se problemas com o GC, mas a Joacine, que aliás é ‘Livre’, tão só quer ser ‘Independente’. Numa ‘gostosa’ piada!...

2. Aliás isto de problemas com a ‘esquerda’ é “chão que vem dando uvas2, pois Rui Tavares, um simpático historiador sem ‘saia’, não estará a sair-se tão bem nos seus projectos político-partidários, apesar dos seus conhecimentos, valor e ‘passagem’ pela política e Europa, ao contrário da Catarina, que, de ‘saia’ ou calças, dia a dia se projecta e debita seus ‘bitaites’ nas TVs e em tudo onde haja evento, questões, ajuntamentos e possa ser vista e falar. E vai ‘fazendo’ política, podendo assim ombrear com o Costa, o Marcelo e outros, mesmo sem selfies, sendo que os demais não contam para nada. Até o Ventura não seria problema nem incomodaria se não tivesse contra si toda a ‘esquerda’, os ‘democratas’ fingidos e os do sistema (comentadores, jornalistas, panelistas, afins do Costa, e ‘elementos’ duns programas afectos ao governo, como o ‘polígrafo’), pois se não lhe dessem atenção e não falassem dele, perderia importância e não obteria crédito. Aliás, parecem ‘borradinhos de medo’, mas há que reconhecer que o homem tem coragem, fala que se farta, não se cala, e... a ‘camisola do movimento zero’ nem lhe fica mal, sendo que a vestiu com o mesmo fervor como se fosse a do Benfica. E como tem razão em muitas ‘verdades’ que vem dizendo,... o povo já começa a ‘gostar’!...

3. O dirigente do SOS Racismo, Mamadou Ba, o ‘joacine’ do Bloco, “está de saída do seu cargo como assessor do Bloco de Esquerda no Parlamento, em ‘profunda divergência’ não com o projecto, mas com o “que o partido se tornou ao longo do tempo” (CM, 26.11.19), pelo que, como foi tão palavroso quanto à acção da PSP no bairro Jamaica, aonde Marcelo, com umas ‘lufadas quadradas’ de inteligência política, fora dar uma ‘olhada’ e ‘colher’ umas selfies, bem poderá enfileirar agora no partido ‘grumet’, no ‘Livre’. Porque a política (não a polícia!) é mesmo uma ‘Bosta’,... e cada vez mais!... E nisto estamos de acordo!

4. O Costa chamou para junto de si como assessor diplomático o filho do M. Alegre, já que a política, com as éticas, incompatibilidades, imunidades, os Ascensos e os Lacãozinhos continua a ser um ‘jogo’ de conveniência e interesses e um ‘alfobre’ de compadrios e corrupção. Com as novas regras para as futuras PPP e os riscos envolventes, e com secretarias do Estado instaladas nas localidades onde viviam ou exerciam acção os titulares nomeados, deu-se mais um grande passo para todo um alargar de favores e benesses a conhecidos, amigos e camaradas. Sem benefício para o país, note-se, aliás sujeito a mais despesas públicas em apoio logístico, em deslocações e viagens, e aumentando a ineficácia e desperdício. Aliás, em tudo o que envolva Finanças e Fiscalidade não há que fiar, pois o secretário Mendonça Mendes, afigurando-se ser um tipo com o ‘esperto no cabeço’, afinal deu cobertura às apreensões e ‘rusga’ havidas em Valongo, à saída da autoestrada e nada dispôs quanto à demissão do Director de Finanças do Porto. Será para repetir?!...

5. O CSM, com base em processo disciplinar, aplicou a pena de demissão ao juiz Rui Rangel e de aposentação compulsiva à juíza Galante, sua ex-mulher, que lhe faria os acórdãos, ambos arguidos no processo ‘Operação Lex’ onde figuram ainda como tal José Veiga, Filipe Vieira, Santos Martins, Rita Figueira, seu pai, etc., com Rangel a ser referido como o elemento activo de uma teia de influência, fazendo jeitos, cedendo a pedidos, recebendo ‘luvas’ e tendo várias contas, funcionando “como um assalariado de Santos Martins, advogado, e que agia sempre no seu interesse” (CM, 6.12.19), dizendo-se ter sido solicitado por Vieira para dar um jeito num processo do filho com a promessa de vir a ser o director da futura Universidade do Benfica. Os dinheiros e as luvas dos jeitos e favores passariam por contas de outrem, os ‘barrigas de aluguer’, sendo as despesas pagas pelo S. Martins. etc.. (vide CM, 4, 5 e 6 .12.19). Se a decisão do CSM não nos surpreende, compreende-se que não se tenha esperado pela acusação no processo-crime em curso no STJ, agora nas mãos de M.J.Morgado, uma magistrada já fora do activo. Aliás consta que em tal processo o Benfica estará metido até ao pescoço, o que logo nos fez evocar o ‘Apito Dourado’, onde tal magistrada desenvolvera um trabalho conturbado, questionável, com ‘atropelo’ de competências, etc., mas que deu no que deu! A acusação, diz-se, só sairá em Janeiro, isto se tudo correr bem e não surgir o habitual naipe de ‘trutas’ a torpedeá-la, com os ’Saragoças’, os ‘Correias’, os ‘Patrícios’ e os ‘Nabais’ do costume já que os ‘Arrobas’ devem estar retidos para ‘aferições’!...

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

27 Janeiro 2020

Um paraíso claro e triste

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.