Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Como travar a Doença Celíaca

Desconsolo

Voz à Saúde

2018-05-22 às 06h00

Joana Afonso

A Doença Celíaca é uma doença hereditária, autoimune, causada pela permanente sensibilidade do intestino ao glúten. Já o glúten caracteriza-se por ser um conjunto de proteínas vegetais encontradas em alimentos que contenham trigo, centeio, cevada, malte e aveia, como são exemplos: o pão, as bolachas, os bolos, as massas, alguns iogurtes e queijos, molhos como maionese, mostarda ou ketchup, carnes como nuggets de frango, almondegas ou panados, bebidas como whisky, vodka, gin e alguns licores. Mesmo que consumido em pequenas quantidades o glúten leva o organismo a desenvolver uma reação imunológica contra o próprio intestino, causando lesões que culminam na diminuição da capacidade deste absorver vitaminas e nutrientes como ferro, ácido fólico e cálcio. De acordo com o único estudo realizado no nosso país, com origem na cidade de Braga, estima-se que cerca de 1 a 3% da população portuguesa sofra da doença, revelando que destes, apenas 10.000 casos estarão diagnosticados, ficando, assim, por diagnosticar cerca de 100.000, um número 10 vezes superior.

A Doença Celíaca pode manifestar-se em qualquer idade e os sintomas variam, substancialmente, de acordo com a fase da vida em que esta surge, bem como com a quantidade de glúten ingerido na dieta. Frequentemente, apresenta-se com sintomatologia gastrointestinal por volta dos 6 meses de vida até aos 2 anos, aquando da introdução de papas e cereais na dieta infantil, podendo levar a quadros de diarreia prolongada (duração superior a 3 semanas) ou obstipação, desconforto e distensão abdominais, vómitos, irritabilidade, perda de apetite e ainda atraso no crescimento ou no ganho ponderal. Nestes casos, quando o diagnóstico não é atempadamente estabelecido, a criança pode mesmo entrar num estado de malnutrição grave. Quando os sintomas surgem mais tardiamente o quadro característico contempla obstipação que não responde aos tratamentos habituais, dor abdominal tipo cólica e anemia por falta de ferro.

O diagnóstico poderá ser estabelecido com recurso a uma simples análise de sangue, pelo que, em caso de suspeita, deverá consultar o seu Médico de Família, dado que ele saberá como orientar em caso de doença.
De salientar que, o único tratamento comprovadamente capaz de controlar a Doença Celíaca, que se revela incurável, passa pelo estabelecimento de uma dieta isenta de glúten. Esta deverá ser projetada pelo seu médico assistente de forma a prevenir a carência de vitaminas e minerais, evitando o aparecimento de quadros de anemia, alterações do metabolismo ósseo, do sistema imunitário, da função tiroideia ou até da saúde reprodutiva.
Saiba que, em caso de diagnóstico da Doença Celíaca e mediante apresentação de relatório médico comprovativo, poderá ter vantagem a nível do IRS na compra de produtos isentos de glúten e poderá, igualmente, requerer o abono complementar de deficiência pela Segurança Social.
Não hesite em procurar ajuda médica. Lembre-se, cuide de Si! Cuide da Sua saúde!

Deixa o teu comentário

Últimas Voz à Saúde

30 Outubro 2018

Como combater o AVC

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.