Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

Decisões de ano novo 2019

Igreja do Bom Jesus faz hoje anos

Escreve quem sabe

2018-12-29 às 06h00

Ana Cristina Costa Ana Cristina Costa

Como diz o provérbio “Mais vale prevenir do que remediar!”, o que se aplica ao ambiente também! E assim fala-se no “princípio da prevenção”.
Assim, aqui apresentamos algumas sugestões para minimizar a sua pegada ecológica e, muitas das vezes, melhorar a sua qualidade de vida e saúde!

Comecemos pela casa:
- Instalar chuveiros e torneiras de baixo consumo: para reduzir o uso de água e, associado a ela o gás/eletricidade;
- Fazer uma avaliação da classificação energética da sua casa, por uma entidade competente: procure saber quais os principais pontos de consumo energético da sua casa e fique a conhecer onde e como pode poupar energia;
- Ir substituindo as lâmpadas incandescentes por lâmpadas de baixo consumo e LED;
- Se se enquadrar, instalar um, ou vários, tubos solares para iluminar partes da casa onde necessita habitualmente de acender a luz (corredor interior, quarto de banho interior, garagem/cave, etc.;
- Se precisa de obter novos móveis e outros objetos procurar em segunda mão, o mesmo se passa com livros, CD, DVD, discos de vinil, etc.;
- Recusar publicidade não endereçada ou entregue na rua;
- Cozinhar mais em casa: e fazer um melhor aproveitamento das sobras alimentares. Exemplo: tomar o pequeno-almoço em casa, levar para o trabalho o almoço feito em casa;
- Pedir emprestado: compartilhe malas, gravatas e outros acessórios de roupa para uma festa; ou bancos e acessórios de cozinha para um jantar;
- Simplificar as festas: reutilizar enfeites; evitar toalhas, copos e talheres descartáveis; planear quantidades conforme o número de convidados; criar as suas próprias ofertas;
- Manter a casa com temperatura agradável sem gastar energia: jogando com os estores e aberturas de janelas, ao longo do dia/noite;
- Preservar a qualidade do ar interior: evitando fumar no interior, limitando o mais possível o uso de produtos químicos, arejando os espaços, nomeadamente a cozinha e o quarto de banho e, caso seja necessário, usando canela, açúcar, cascas de citrinos, lavanda, etc. para perfumar o ar em vez de “ambientadores do ar” que tanto mal fazem à saúde;
- Organizar a vida: evita deslocações desnecessárias, compras urgentes a qualquer preço, etc.;
- Reduzir o tempo do seu banho: fundamental para uma poupança dupla - energia e água;
- Usar água fria para a lavagem de roupa de cor;
- Aproveitar para fazer exercício: se viver num bloco de apartamentos, vá pelas escadas. Poupa eletricidade e faz bem à sua saúde;
- Manter-se a par das atividades desportivas, culturais e recreativas locais: através dos sites de entidades conhecidas (municípios, associações, clubes, etc.), de forma a participar localmente, não tendo de se deslocar para se divertir e conviver;

No local de trabalho:
- Na máquina de bebidas quentes, usar uma caneca togo (um recipiente não descartável, lavável e durável) em vez de copos descartáveis;
- Deixar de comprar garrafas de plástico, levando um cantil que vai enchendo conforme as necessidades, consumindo água da torneira;
- Ir a pé, de bicicleta ou de transportes públicos. Caso seja impossível, partilhar boleias com algum colega;
- Levar lanche (uma peça de fruta, um iogurte, uma sandes feita em casa) e almoço (salada ou, se tiver onde aquecer, algo mais reconfortante, no inverno) em vez de comer o que é menos adequado em pastelarias e restaurantes;
Quando vai às compras:
- Fazer uma lista de compras: evite o consumo supérfluo e o desperdício, e deve ir com tempo, de forma a conseguir comparar os preços e atenção que os mais baixos não estão normalmente ao nível dos olhos;
- Preferir os produtos da época e da região: são normalmente mais baratos e com muito menor pegada ecológica, impulsionando a economia nacional;
- Comprar, quando a embalagem for inevitável, as de tamanho familiar, de recarga, retornáveis, recicladas, simples, e de produtos concentrados;
- Eliminar a compra por impulso: usar a técnica das 48 horas (aguardar 2 dias para verificar se quer mesmo aquele produto);
- Pedir o gelado em cone em vez de copo de plástico e colher;
Pequenos gestos que podem reduzir consideravelmente a pegada ecológica e cada um de nós!

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

22 Outubro 2019

Mitos na doença mental

22 Outubro 2019

Voltar ao início

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.