Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Empreendedorismo Social para uma economia social mais inclusiva

A Casa de Chocolate

Ideias

2017-02-11 às 06h00

Vasco Teixeira

O Empreendedorismo é o principal motor da inovação, da criatividade, da competitividade e do crescimento económico. A Europa necessita de mais empreendedores, que criem empregos, e que contribuam para o crescimento sustentável e para uma economia mais competitiva. Numa Europa empreendedora, a partilha de valor, assente numa cultura organizacional de inovação aberta e baseada em redes de colaboração, contribui para criar um ambiente dinâmico associado ao investimento e ao crescimento económico.

Empreendedorismo Social pode ser definido como o processo de procura e implementação de soluções inovadoras e sustentáveis com vista à melhoria das respostas e da qualidade dos serviços prestados pelas organizações que atendem a necessidades sociais. O Empreendedorismo Social tem atualmente um papel preponderante na sociedade.

Os empreendedores sociais procuram apresentar soluções inovadoras para problemas sociais e ambientais. A Inovação Social pode ser encarada como um meio para estimular uma economia social de mercado mais inclusiva e sustentável, e uma economia social dinâmica com capacidade de responder às necessidades emergentes e aos novos desafios societais. As empresas sociais geram coesão e inclusão social e fomentam uma cidadania ativa.

São empreendedores sociais aqueles que enfrentam desafios socio-ambientais, com iniciativas que vão desde soluções inclusivas para emprego, educação, saúde, tratamento de resíduos, entre outros. As empresas sociais prestam um importante e significativo contributo à sociedade e são consideradas um dos pilares do Modelo Social Europeu. De facto, estas empresas representam 10% de todas as empresas da europa e cerca de 6% do emprego total.

A Estratégia Europa 2020 para um Crescimento Inteligente, Sustentável e Inclusivo define metas para ajudar, pelo menos, 20 milhões de pessoas a saírem de uma situação de pobreza e exclusão social e aumentar para 75% a taxa de emprego da população entre os 20 e os 64 anos. As iniciativas emblemáticas da Estratégia Europa 2020, designadamente, a Plataforma Europeia contra a Pobreza e a Exclusão Social e a Agenda para Novas Competências e Empregos contribuem para a consecução destas metas. A União Europeia (UE) editou um Guia para a Inovação Social.

O guia descreve as iniciativas da UE que têm vindo a trabalhar nesse sentido, desde a Agenda Digital aos Fundos Estruturais, apresentando muitos exemplos de projetos cofinanciados (tais como inclusão social, envelhecimento e apoio a idosos, recuperação de toxicodependentes, saúde, reabilitação urbana, entre outros), enquadrando-os no contexto da estratégia Europa 2020.

A UE e os estados membros desempenham um papel essencial para o estímulo da economia social. Têm apresentado instrumentos de financiamento e programas de apoio específicos para o desenvolvimento das empresas sociais e da nova geração de empreendedores sociais na Europa. Um programa muito importante, enquadrado na Estratégia Europa 2020, é o EaSI - Programa da UE para o Emprego e a Inovação Social para o período 2014-2020 e que disponibiliza um orçamento de 920 milhões de euros.

Tem como objetivo apoiar políticas sociais inovadoras, promover a mobilidade dos trabalhadores, bem como facilitar o acesso ao microcrédito e estimular o Empreendedorismo Social. O eixo Microfinanciamento e Empreendedorismo Social apoia ações em duas áreas temáticas: i) microcrédito e microempréstimos para os grupos vulneráveis e as microempresas; ii) empreendedorismo social. 21% do total do orçamento do EaSI será afetado ao eixo Microfinanciamento e Empreendedorismo Social.

Os empreendedores podem recorrer ao Crowdfunding (financiamento participativo ou colaborativo) como uma alternativa para angariação de fundos para projetos de inovação social e de empreendedorismo social.
Na iniciativa Bolsa do Empreendedorismo 2017 também são elegíveis projetos para empreendedorismo social, um projeto dinamizado pela Representação da Comissão Europeia em Portugal que tem por objetivo difundir informação sobre as iniciativas da UE para a promoção do investimento, do crescimento e do emprego e proporcionar a potenciais empreendedores oportunidades para desenvolver as suas ideias, projetos ou empresas.

De referir a recente iniciativa sobre Inovação Social e Empreendedorismo Social da responsabilidade da Câmara Municipal de Braga e da IES-Social Business School - a organização do Fórum “Braga: Hub de Inovação Social”, onde foram apresentados 9 projetos de empreendedorismo social.

Foram apresentados projetos piloto que visam a inclusão de franjas sociais desfavorecidas. Um destes projetos será selecionado por um júri para financiamento por parte do Município de Braga e para ter consultoria especializada para o desenvolvimento do projeto social. O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, salientou um dos seus objetivos de “fazer de Braga um verdadeiro hub de inovação social”.

O Fórum sobre inovação social contou com a participação de uma delegação da cidade polaca de Gdansk, que lidera um projecto de inovação social no âmbito do URBACT, no qual Braga também está envolvida. O “Boostinn-Boosting Social Innovation” é uma iniciativa multissetorial com impacto nas cidades para promover ações estratégicas de desenvolvimento local. Este projeto possui quatro áreas específicas: inclusão, economia, ambiente e governança. Braga irá dar o seu contributo para os domínios da inclusão e da economia.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

24 Maio 2019

Vote

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.