Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Estratégia para o Turismo 2027

Sarrabulho e kizombada

Ideias

2017-03-25 às 06h00

Vasco Teixeira

OTurismo é um dos principais motores da economia portuguesa representando já uma quota nas exportações nacionais de cerca de 16,7% e praticamente de 45% das exportações de serviços, apostando na qualidade e sustentabilidade, na inovação, nas infraestruturas, nas acessibilidades, na qualificação das pessoas, na criação de emprego e na coesão social.
O setor do Turismo representa cerca de 13 mil milhões de euros de consumo turístico interno anual, o que corresponde a cerca de 7% do PIB nacional.

O Turismo é uma das atividades mais geradoras de riqueza e emprego em Portugal, com perto de 380 mil empregos, representando cerca de 8,2% do emprego nacional. Em 2016 o turismo gerou mais de 27 mil postos de trabalho, um terço do total de empregos criados no país. Em termos de receitas turísticas, Portugal representa, na Europa, cerca de 2,5% do total das receitas turísticas internacionais (encontra-se no 9.º lugar na UE 28). E em termos mundiais ocupa o 26.º lugar (representando cerca de 1% a nível mundial).

Nos últimos anos o setor do Turismo assistiu a grandes investimentos por parte dos agentes públicos e privados, visando acompanhar as novas tendências da procura a nível internacional e a qualificação da própria oferta nas regiões e destinos. O turismo enfrenta uma concorrência cada vez mais crescente à escala mundial e está particularmente sujeito a novas tendências de mudança: sociodemográficas, económicas, ambientais, tecnológicas e nos transportes. O Índice de Competitividade em Viagens e Turismo, elaborado pelo Fórum Económico Mundial, e onde Portugal se posiciona em 15.º lugar num ranking global de 141 países, permite monitorizar os efeitos das políticas públicas e os resultados da aposta na qualidade e investimento dos agentes privados, para a competitividade deste setor.

O Turismo da Saúde, Cultural, Desportivo, Religioso e da Natureza são importantes para desafios ligados à saúde, alterações demográficas e bem-estar. O Turismo Rural, Turismo de Habitação e Ecoturismo são relevantes para desafios ligados à agricultura sustentável e à bioeconomia. O turismo está também intimamente ligado a desafios de energia e eficiência energética, de transportes (inteligentes, ecológicos e integrados), climáticos, de proteção ambiental, poupança de água, gestão de resíduos e de segurança, entre outros.

A Estratégia para o Turismo 2027 foi elaborada com contributos recolhidos em diversos eventos de discussão pública por todo o país ao longo do ano de 2016, e o documento final foi apresentado em Março de 2017. Num evento organizado no Porto, o chefe da Unidade Turismo da OCDE, Alain Dupeyras, elogiou Portugal pela oportunidade e pertinência de desenvolver uma estratégia de longo prazo para o turismo, destacando, de forma muito positiva, todo o processo de participação e auscultação pública que foi desenvolvido. De 2016 a 2020 encontra-se em vigor a Estratégia Turismo 2020 (desenvolvida tendo em consideração os objetivos da Estratégia Europa 2020 e integrando-se no atual quadro comunitário de apoio e no Portugal 2020).

O plano desenvolvido para a Estratégia para o Turismo 2027 (ET 27) pretende ser o referencial estratégico para o Turismo em Portugal na próxima década e visa integrar-se no novo quadro comunitário de apoio, que vigorará entre 2021 e 2027. Define cinco eixos estratégicos: valorizar o território, impulsionar a economia, potenciar o conhecimento, gerar redes e conetividade e projetar Portugal.

A meta da Estratégia Turismo 2027 é atingir receitas da ordem de 26 mil milhões de euros em 2027, ou seja apresentar um crescimento de 4% ao ano. Outra das metas do plano do Governo para o ET 27 corresponde em estimular a procura turística no país e nas várias regiões, aumentando o número de dormidas de 53,5 milhões em 2016 para 80 milhões (em 2027).

Os desafios que este setor enfrenta, podem ser genericamente identificados, mas assumem contornos mutáveis, muito dependentes de circunstâncias externas, sensíveis a intervenções públicas e privadas de vários níveis, sujeitos à inovação e à concorrência, nem sempre muito previsível. Os principais desafios para o setor do Turismo em Portugal foram identificados como:
- o aumento do rendimento e da população empregada;
- a redução das assimetrias regionais;
-o crescimento do setor em valor, com o consequente aumento das receitas;
- o redução da sazonalidade;
- a melhoria das acessibilidades;
- uma maior capacidade de resposta à procura de turistas mais informados e exigentes;
- uma maior inovação e a generalização da economia digital;
- uma maior sustentabilidade do setor;
- a simplificação da legislação e da máquina administrativa;
- o assegurar da capacidade de investimento às empresas.

A valorização das Regiões e do Território, e assegurando que o turismo gera um impacto positivo nas populações residentes é um dos principais desígnios das estratégias para o turismo. Um território preservado e valorizado é o mais relevante ativo turístico. A procura por parte dos turistas está maioritariamente centrada nas características que o território apresenta.
O clima, a par da localização geográfica, as pessoas que o habitam, a diversidade das paisagens, os monumentos arquitetónicos, históricos, culturais e naturais, a cultura, tradições e gastronomia e ainda a riqueza na área da biodiversidade, constituem o espelho da nossa identidade e são alguns dos principais recursos para a prática do turismo e contribuem para a valorização da imagem de marca do território e para a diferenciação do destino.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.