Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

Famalicão Smart

Mitos na doença mental

Famalicão Smart

Ideias

2019-05-23 às 06h00

Vítor Moreira Vítor Moreira

Aapresentação do Smart Center de Vila Nova de Famalicão deu o mote para que o Município esteja, por estes dias, presente na Portugal Smart City Summit, a decorrer até esta quinta-feira, 23 de maio, na FIL - Feira Internacional de Lisboa.
Estar na linha da frente da construção de uma cidade inteligente é um trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ao longo dos últimos dois anos e que faz com que Vila Nova de Famalicão tenha hoje uma estratégia para abordar esta temática das Smart Cities.
Através da celebração de um protocolo de cooperação com a operadora NOS, o Município de Vila Nova de Famalicão dispõe de uma solução global e integrada assente numa Plataforma de Inteligência Urbana que se materializará num centro de comando e controlo - o Smart Center - que unirá todas as atividades desenvolvidas pelo Município, mas que, acima de tudo, permitirá gerir a cidade de uma forma mais articulada.

Numa primeira fase será implementado o processo de gestão de ocorrências, permitindo que os cidadãos interajam com o município, reportando anomalias para o centro de controlo, e que o município faça uma gestão integrada no sentido de dar respostas rápidas aos cidadãos.
Em fase subsequente, a plataforma permitirá gerir a cidade. Problemas relacionados com a mobilidade, com os resíduos urbanos, com a qualidade do ar, com o estacionamento de periferia ou com a eficiência energética serão monitorizados e os dados recolhidos no território serão a base de gestão quotidiana, mas também uma poderosa ferramenta de apoio à decisão política.
No Portugal Smart Cities Summit 2019, que hoje encerra, o município de Famalicão apresentou ainda o seu modelo de gestão do território através de uma infografia que espelha o ecossistema que constitui uma Smart City. Para que uma cidade seja efetivamente inteligente é, para isso, fundamental que esteja interligada e que as suas partes integrantes possam comunicar entre si.

Mas porque Famalicão não quer que a implementação do conceito Smart City seja dissociada dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pela ONU para 2030, o município está já a trabalhar para que cada área da autarquia e do território possa construir o seu futuro comum associado a cada ODS.
Mais do que uma cidade inteligente, queremos uma cidade inteligente e sustentável. Porque a cidade, como já o disse o autarca famalicense Paulo Cunha, só será verdadeiramente inteligente se conseguir promover a qualidade de vida dos seus cidadãos, promovendo a sustentabilidade do seu território, deixando para os nossos filhos a capacidade de eles próprios contruírem o seu futuro.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.