Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

Namorar

Erasmo de Roterdão e o programa Erasmus

Escreve quem sabe

2012-02-12 às 06h00

Joana Silva Joana Silva

Está a chegar uma data importante para quem está apaixonado, o dia de São Valentim mais conhecido como o dia dos namorados. O amor e a paixão são sentimentos muito fortes que podem surgir em qualquer idade e os quais não tem ‘data marcada’ para aparecerem. Há quem encontre a ‘cara-metade’ mais cedo, outros mais tarde. Todo o ser humano ao longo da sua vida se apaixona mais que não seja pelo menos uma vez. Por norma na fase adulta a demonstração dos seus sentimentos para com a pessoa amada pauta-se pela descrição, no entanto, nos adolescentes a dinâmicas são diferentes. Não obstante, também os namoros de há décadas atrás eram diferentes, o namoro surgia na fase jovem circunscrevendo-se em relacionamentos que duravam, por vezes anos, e que resultavam no casamento, situações que não ocorrem com tanta frequência nos dias de hoje.
O namorar é uma etapa marcante no desenvolvimento humano e que produz mudanças físicas, psíquicas e sociais no adolescente. Com o início da puberdade, os jovens tanto do sexo masculino como feminino interagem mais com pessoas do outro sexo, predispondo assim para os relacionamentos amorosos. Na adolescência, pode dizer-se que os relacionamentos amorosos tendem a se tornar mais intensos e mais íntimos, os sentimentos são vividos ‘à flor da pele’, em que por exemplo, os jovens perdidamente apaixonados um pelo outro, fazem ‘juras de amor para todo o sempre’. No entanto, e como refere a sabedoria popular nem sempre tudo é um ‘ mar de rosas’ e quando os relacionamentos não correm bem ou falham ficam profundamente decepcionados, talvez porque tendem a considerar que a outra pessoa deva ser perfeita esquecendo que é humana acima de tudo, com defeitos, erros, entre outras características da personalidade, tal como o próprio os tem também.
Alguns estudos realizados sobre este tema, os namoros na adolescência, indicam que nesta fase de desenvolvimento, por volta dos 16 anos os jovens tendem a ter pelo menos um relacionamento que dura entre alguns meses até um ano e que tem como ‘grau de importância’ o/a namorado/a mais do que pais e amigos.
Os pais nem sempre aceitam muito bem o inicio do namoro dos filhos por algumas razões entre as quais, tem o receio de que este possa prejudicar os estudos, as relações interpessoais com estes e com os amigos, tem medo que possa ocorrer uma gravidez e na maioria das vezes consideram que os seus filhos ainda são muito novos para namorarem . Apesar destes receios todos é importante referir que namorar faz bem! Dar e receber amor aumenta a auto-estima o auto conceito e o entusiasmo pela vida que contribui para o equilíbrio emocional.
De realçar que também existem adolescentes que optam por vivenciar estas experiências mais tarde, de entre alguns motivos, por opção própria ou o receio de que uma relação amorosa possa afectar o relacionamento com os colegas ou amigos.
A adolescência é um período de transformação e o vivenciar de experiências diferentes. Para terminar, poder-se-á dizer que independentemente da idade, permita que a vida lhe mostre ou ofereça a vivencia deste sentimento.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

19 Novembro 2019

Viver (n)o Inverno

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.