Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

Natal sustentável

A avestruz risonha que tocava Strauss

Escreve quem sabe

2010-12-17 às 06h00

Ana Cristina Costa Ana Cristina Costa

Instalou-se na nossa sociedade o hábito de um consumismo que, nesta quadra festiva, atinge os limites do obsessivo, com comportamentos de compra compulsiva; o que provoca impactos ambientais graves, mas, pode também estar na origem de problemas económicos (endividamento).

Aqui ficam alguns conselhos:
- Adquira uma árvore de Natal natural (se tiver para onde a transplantar) ou então recorra apenas a árvores vendidas com garantia da sustentabilidade do corte ou oferecidas pelos bom-beiros ou serviços municipais. Porque não uma árvore feita em família e com materiais reutilizados?
- Na ceia de Natal, se não conseguir substituir o bacalhau por outra iguaria, adquira-o de média/grande dimensão; faça o mesmo em relação ao polvo (mais de 900g).
- Tenha cuidado na aquisição dos enfeites, para que os possa utilizar por muitos anos. Pode optar por criar os seus próprios enfeites a partir da reutilização de materiais.
- Lembre-se daqueles que não têm possibilidade de oferecer prendas e mesmo de ter uma ceia de Natal; seja solidário!
- Isole bem a sua casa de modo a reduzir os gastos com o aquecimento.
- Não compre azevinho verdadeiro. Existem bonitas imitações artificiais de azevinho que podem ser reutilizadas de uns anos para os outros.
- Reflicta bem sobre as prendas que vai oferecer. Privilegie produtos:
-Duráveis e reparáveis;
-Educativos; ofereça produtos que estimulem a inteligência, a criatividade, o respeito entre os povos e pelo ambiente;
- Que não consumam pilhas ou então ofereça também as pilhas mas das recarregáveis, com respectivo carregador.
-Inócuos, em termos de subs-tâncias perigosas;
-Que não estejam embalados em excesso;
-Úteis.
- Utilize os transportes públicos nas suas deslocações às compras, ou então, junte-se com amigos ou familiares num mesmo veículo.
- Procure levar sacos para as compras (sugestão: ofereça sacos de pano).
- Adquira produtos nacionais; promove a economia portuguesa e reduz o impacte ambiental associado ao transporte. Lembre-se “Cá se fazem, cá se compram”!
- Se pensar em oferecer um animal de estimação verifique se há condições para ele viver bem e não compre animais selvagens ou em vias de extinção. Opte pela adopção de um animal.
- Muitas vezes temos objectos que já não utilizamos, mas que estão em bom estado. Seleccione os que pode oferecer a instituições ou opte por usar a sua criatividade e conceber objectos para oferecer.
- Guarde os laços e o papel de embrulho para que os possa utilizar noutras ocasiões; podem até ser utilizados pelas crianças para fazer divertidos objectos, como máscaras, porta canetas, etc.
- No final separe todas as embalagens - papel/cartão; plástico; metal - e coloque-as no ecoponto mais próximo.
- Depois das festas, vêm as limpezas. Procure reduzir a quantidade e perigosidade dos produtos de limpeza que utiliza. Prefira os biodegradáveis e com recargas.
Ao seguir estes conselhos está a oferecer uma prenda a si próprio e a todos os cidadãos do mundo - um ambiente mais protegido e equilibrado!

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

15 Outubro 2019

Outubro um mês associativo

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.