Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Padre David: Quem salva uma vida...

Braga e o Plaza

Escreve quem sabe

2018-11-25 às 06h00

Joaquim da Silva Gomes

Existem vários padres, naturais do Minho, que exerceram uma intensa atividade de cariz religioso, social e político, acabando por deixar o seu nome gravado na memória das gentes do Minho, e até do país, durante décadas.
Não querendo ser exaustivo nessa lista, vou lembrar apenas o Padre Abel Varzim (1902-1964), de Barcelos; o Padre Himalaia (1868-1933), de Arcos de Valdevez; o Abade de Priscos (1834 -1930), de Vila Verde, e o Padre Martinho (1812 - 1875), de Braga. Nesta lista incluo, porém, de forma especial, o Padre David.
Oriundo de uma família pobre, de Gondifelos (V. N. de Famalicão), onde nasceu a 17 de agosto de 1904, filho de Joaquim José Martins e de Clementina Rosa de Oliveira, David de Oliveira Martins teve que trabalhar, desde muito novo, para ajudar na subsistência da família. Viu o pai partir, ainda novo, para o Brasil, ficando uma parte do encargo familiar entregue a este pobre jovem!
Mais tarde, David de Oliveira Martins ingressou no Seminário de Braga, mas só após o cumprimento do serviço militar obrigatório.
Ordenado sacerdote a 30 de julho de 1933, pelo Arcebispo D. António Bento Martins Júnior, Oliveira Martins foi colocado a 4 de novembro desse mesmo ano na paróquia de Ruílhe (Braga). Aí chegado, depressa se apercebeu da degradação da igreja paroquial da freguesia, pelo que rapidamente encetou esforços no sentido de construir uma nova igreja.
Naquele tempo, Ruílhe era uma freguesia marcada pela pobreza extrema. Tinha apenas 130 fogos, com caminhos estreitos e enlameados, sem água e luz públicas onde os seus habitantes lutavam arduamente para sobreviver. Neste panorama social, o Padre David conseguiu angariar 300 mil escudos, quantia suficiente para pagar a imponente obra que pretendia ver edificada. A inauguração da igreja, que ocorreu a 21 de novembro de 1937, pelo Arcebispo de Braga, D. António Bento Martins Júnior, constituiu um dos mais brilhantes acontecimentos que até então tinha ocorrido na freguesia.
Ao longo da sua vida como sacerdote, o Padre David construiu três igrejas (Ruílhe, Arentim e Aveleda), duas residências paroquiais, um bairro social de cinquenta casas (cuja primeira pedra foi lançada a 11 de outubro de 1953) para famílias pobres e, ainda, um Centro Social, destinado a acolher crianças órfãs, pobres e abandonadas de todo o país e até das suas colónias.
Considerado por muitos como o “pai dos abandonados”, em maio de 1980, o Padre David foi condecorado pelo Papa João Paulo II com a medalha “Pro Eclesia et Pontifice”. Em 6 de junho de 1981, foi nomeado “Comendador da Ordem de Benemerência” pelo Presidente da República, general Ramalho Eanes, e, em 1983, foi-lhe atribuída a Medalha de Ouro da cidade de Braga.
O Padre David faleceu a 20 de julho de 1990, o que constituiu um grande momento de pesar, ao qual assistiram centenas de pessoas, marcadas pelas lágrimas, pela emoção e pelas flores!
Nas cerimónias fúnebres, o Arcebispo de Braga, D. Eurico Dias Nogueira, referiu que o que mais marcou a ação social do Padre David foi a criação do Centro Social destinado a crianças com carências afetivas e económicas. Para o Arcebispo de Braga, foram milhares as crianças que encontraram no Centro Social Padre David o lar que lhes faltava e de que tanto necessitavam, encontrando aí um rumo certo para a sua vida.
Após a sua morte, o continuador da obra do Padre David de Oliveira Martins foi o Padre Narciso Fernandes.
O Centro Social Padre David, que amanhã, dia 26 de novembro, assinala 60 anos de existência, constitui ainda hoje uma obra de grande importância na nossa região e no país. Apesar dos tempos que vivemos, que muitos rotulam de modernos, continuam a existir muitas crianças marcadas pela miséria, pela pobreza e pelo abandono. Essas crianças continuam a encontrar no Centro Social Padre David um local de abrigo e de acolhimento.
São 47 os jovens que, atualmente, são acolhidos no Centro Social Padre David. As quatro mais velhas têm 21 anos e a mais nova apenas um mês! Para além desta casa de acolhimento, o Centro Social Padre David tem ainda um lar para os idosos, que acolhe 49 utentes e mais quatro em centro de dia.
Conhecido pelos valores de acolhimento e de apoio aos mais desfavorecidos da nossa sociedade, aqueles a quem o próprio Estado não conseguiu apoiar, no momento em que mais necessitavam, o Centro Social Padre David é constituído ainda por um conjunto de profissionais que se destacam pela sua dedicação e pelo empenho diário e permanente à instituição.
A todos os que lá trabalharam e trabalham, a todos os que dão muito de si, todos os dias, todas as horas, para que estas crianças possam ter um pouco mais de conforto, um pouco mais de alegria, devemos-lhes um profundo agradecimento. Quando o Estado falha, sabemos que podemos contar convosco, que podemos contar com o Centro Social Padre David!
“Quem salva uma vida, salva o mundo inteiro”, diz Talmud, frase imortalizada na obra “Schindler's List”. Hoje, amanhã, todos os dias, devemos agradecer a todos os que trabalham no Centro Social Padre David e, de forma simples mais sentida, dizer-lhes: muito obrigado!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.