Correio do Minho

Braga, terça-feira

Por Pequim e Tianjin

Quadras de São João com imaginação

Voz às Escolas

2019-05-13 às 06h00

Hortense Lopes dos Santos

No passado mês de abril, visitei a China, integrada na delegação de diretores de Agrupamentos de Escolas e representantes dos Serviços Centrais do Ministério da Educação. Esta visita foi organizada pela presidência do Instituto Confúcio da Universidade de Lisboa, tendo acompanhado a delegação, o Professor Michael Wang e a Professora Teresa Cid.
Representávamos as dez escolas onde se ensina o mandarim como língua curricular, desde o ano letivo 2015/16, fazendo parte do projeto piloto. Como se previa, no final de abril, com a visita oficial de Sua Excelência o Presidente da República, seria assinado novo protocolo prevendo o alargamento do ensino de mandarim a mais escolas.
Saliento que o governo chinês continua a apoiar este projeto, através do Instituto Confúcio, colocando professores chineses nas nossas escolas. Lembro que tenho dado nota sobre o ensino de mandarim na Escola Carlos Amarante, desde 2015.

Esta deslocação estava muito bem organizada, com acompanhamento para que nada faltasse, com uma agenda pormenorizada, incluindo visitas a vários departamentos da Universidade de Tianjin, ao Instituto Confúcio (Hanban), a diferentes escolas e, naturalmente, a componente cultural não foi esquecida.
Poderia fazer aqui um diário da viagem, mas vou destacar alguns momentos relativos ao acolhimento que nos brindaram em todas as instituições, na preocupação em mostrar como vivem o quotidiano nas suas escolas, sempre com alegria demonstrada em receberem-nos.
Ficamos instalados em Tianjin, cidade a cerca de 120Km de Pequim (Beijing), com mais de 1,5 milhões de habitantes, onde nos sentimos muito bem. Fomos recebidos na Universidade de Tianjin, em diferentes momentos, visitamos os museus, contactamos com alunos e professores. Destaco aqui os alunos que estudam português e que no próximo ano letivo estarão nas nossas universidades a aprofundar o estudo da nossa língua. O entusiasmo destes alunos era contagiante.

Visitamos escolas com diferentes níveis de ensino, desde a educação pre escolar ao ensino secundário, umas com anos de história e outras mais recentes. Neste caso, a mais recente, tinha iniciado a atividade há sete anos e a média de idade dos professores era de trinta anos.
Nas visitas às escolas, era visível a formação dos alunos nas artes, nas ciências, tecnologias ou desporto, em turmas quase sempre com mais de 30 alunos (muitas entre 35 e 40). Tivemos oportunidade de presenciar diferentes práticas, como por exemplo, a meio da manhã e/ou tarde interrompem as atividades letivas e todos os alunos (centenas) acompanhados pelos professores se dirigem ao campo desportivo onde fazem exercícios de relaxamento.
Esta viagem também previa outras atividades (culturais). Em Tianjin Binhai, área urbana extensa, visitamos os museus, as áreas mais antigas, a Biblioteca (projeto arquitetónico reconhecido), a Sino-Singapore Eco-Town (cidade construída nos terrenos despoluídos, com a parceria do governo de Singapura), entre outras.

Destaco também o excelente espetáculo de ópera a que assistimos (Ópera de Pequim), onde fomos convidados a visitar os bastidores enquanto os atores se preparavam para entrar em cena.
Um dos pontos altos da deslocação foi a visita a Pequim, a meio da estadia, onde estivemos três dias. Fomos recebidos no Instituto Confúcio, entidade que contrata os professores chineses colocados nas nossas escolas, onde foi debatido o protocolo já referido. Ficou claro a importância desta colaboração entre os dois países.
Estando em Pequim, fizemos as visitas turísticas, sempre memoráveis, à cidade proibida, à grande muralha, palácios e mercados.
Sabemos que ao oferecer a disciplina de mandarim aos nossos alunos, estamos a proporcionar o ensino da língua mais falada no mundo, dando acesso a maior diversidade cultural e não só.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

10 Junho 2019

Partilhas

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.