Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

Re-Food Braga 100%

O sofisma

Escreve quem sabe

2016-05-14 às 06h00

Ana Cristina Costa Ana Cristina Costa

Odesperdício alimentar tem impacto a diversos níveis, tais como ético, económico, social, sanitário e ambiental. No Dia Mundial da Alimentação de 2013 foi salientado: “Conseguir o maior número possível de alimentos de cada gota de água, porção de terreno, partícula de fertilizantes e minuto de trabalho, poupa recursos para o futuro e torna os sistemas mais sustentáveis.”
Sabendo que cerca de um terço de toda a alimentação humana é desperdiçada, o controlo desse desperdício é uma preocupação da Comissão Europeia, que propôs o ano de 2014 como ‘Ano Europeu contra o Desperdício Alimentar’, definindo como meta, a redução de metade do desperdício alimentar até 2025, com o objetivo de sensibilizar para a importância da tomada de decisões na resolução do problema do desperdício alimentar que existe na Europa.
A FAO propôs três níveis de ação: reduzir o desperdício, reutilizar os alimentos na cadeia alimentar humana e reciclar.
Nesta linha surgiu o Re-food. O Re-food é um projeto ecohumanitário baseado 100% em trabalho de voluntariado que pretende acabar com o desperdício dos alimentos preparados e com a fome nos bairros urbanos reforçando os laços comunitários locais.
A missão do projeto Re-food é diminuir a fome no ambiente urbano ao dirigir refeições (excedentes) diretamente às pessoas que passam fome mais próximas das fontes de doações.
O projeto assenta em três pilares estruturais:
1 - Resgatar 100% o excedente alimentar, preparado e não vendido, dentro de uma área de atuação micro local.
2 - Proporcionar alimento a 100% das pessoas com carências alimentares, dentro desta mesma área.
3 - Procurar envolver 100% da comunidade no desenvolvimento, operacionalização e apoio a este projeto.
O Re-Food nasceu em Lisboa e é um projeto micro local, baseado em trabalho 100% voluntário, que pretende resgatar 100% do excedente alimentar, preparado e não vendido e, simultaneamente, proporcionar alimentos a 100% das pessoas com necessidades alimentares, dentro da área de atuação micro local.
Desde 2013 que o projeto tem vindo a crescer e a espalhar-se por várias cidades do país. O Re-Food Braga 100% foi o 11.º núcleo a ser implementado a nível nacional e o 3.º núcleo a ser implementado fora da Grande Lisboa.
Em Braga, o projeto tornou-se uma realidade a 15 de fevereiro de 2015, e assim, desde essa data que, diariamente, há três equipas de voluntários no terreno: os voluntários que percorrem as rotas e recolhem os excedentes alimentares pelas diversas fontes de alimentos parceiras, os voluntários que armazenam e empacotam a comida excedentária em refeições, e os voluntários que fazem a distribuição de refeições pelas famílias beneficiárias do projeto.
Atualmente o núcleo conta com o apoio de cerca 30 gestores/chefes de turno voluntários que são os responsáveis pela operacionalização do projeto e cerca de 200 voluntários no terreno, 33 por dia, que nas suas duas horas semanais tornam a execução do projeto possível.
Um ano após o lançamento e inauguração do núcleo os números não enganam, o Re-Food Braga 100%, distribui refeições por 150 beneficiários e combate o desperdício alimentar em 48 parceiros de fonte de alimentos.
Fazer acontecer tem sido o objetivo do Re-Food Braga 100% e, se, num ano, nas 60.000 horas doadas pelos voluntários foram resgatas e distribuídas 11.901 refeições em perfeitas condições, apenas ocorre um pensamento: Continuar a combater o desperdício alimentar e alimentar sorrisos.
Se quiser fazer parte deste projeto inscreva-se e veja como pode ajudar:
https://www.facebook.com/refood.braga

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.