Correio do Minho

Braga, terça-feira

Um ciclo que se abre

“Novo tabaco” mata 600 mil crianças por ano

Voz às Escolas

2018-09-26 às 06h00

Joaquim da Silva Gomes

A vida das pessoas, a vida das sociedades, a vida das instituições, a vida das escolas é feita de ciclos. São ciclos que se iniciam e se prolongam por meses ou por anos.
A escola é de todos, mas a escola não nos pertence! Por isso, muitos destes ciclos iniciam-se ou terminam quando os planeamos, mas outros começam ou terminam quando não contamos, quando não esperamos.
O mês de julho de 2018 marcou o fim de um ciclo no Agrupamento de Escolas de Maximinos. Iniciou-se outro, agora liderado por mim, mas cujo trabalho, cujo sucesso, está dependente de uma equipa de professores empenhados. Refiro-me à subdiretora, professora Florinda Grilo, e aos adjuntos do diretor, os professores Carlos Gonçalves, Cristina Gandra e Maria João Faria.
Quando convidei estes professores para integrarem esta equipa, sabia que eram dos melhores professores. Agora afirmo que estes são os melhores professores, pois são de uma dedicação, uma organização e um empenho, demonstrando-o diariamente.

Fecha-se um ciclo neste Agrupamento e inicia-se um outro. Apesar de instalados em estruturas físicas inadequadas e de uma localização geográfica, aparentemente, menos atrativa, não iremos lamentar-nos disso! Esta escola, este Agrupamento, não tem tudo, mas tem alguma coisa:
Os professores deste Agrupamento são dos melhores da nossa região. São de uma dedicação absoluta aos seus alunos e estão empenhados no sucesso e na formação integral de uma geração que pode fazer a diferença na nossa sociedade. Uma geração marcada pelos valores da responsabilidade, da competência, mas também da solidariedade e da ética. Estes professores têm estas qualidades e estão a transmiti-las aos seus alunos!
Os profissionais que aqui trabalham são de uma dedicação absoluta. Merecem ser valorizados, merecem ser respeitos. E sê-lo-ão!

No funcionamento de um Agrupamento de escolas como o nosso, é necessário efectuar dezenas de nomeações, dezenas de designações. Em muitas escolas essas nomeações, esses cargos, causam inimizades e até zangas, que permanecem ao longo do ano letivo. Pois todas as nomeações que foram feitas, não há uma que tivesse sido imposta, não há uma que causasse indignação. Foi tudo resolvido com uma conversa.
Devemos saber preparar bem as novas gerações. Uma criança com três anos de idade que este mês começou a frequentar o nosso Agrupamento, daqui a três anos entrará para o Primeiro Ciclo, ou seja, em 2021; quatro anos depois entrará para o segundo ciclo, ou seja, em 2025; dois anos depois entrará para o terceiro ciclo, ou seja, em 2027, e três anos depois entrará para o secundário, ou seja, em 2030. Deixará a escolaridade obrigatória após três anos no Secundário, ou seja, em 2033!

Como será a nossa sociedade em 2033, quando estes alunos deixarem o nosso Agrupamento? Será que as práticas, os métodos de ensino, as competências que irão desenvolver nos diferentes domínios serão os mais adequados?
Basta recuarmos ao ano de 2003 para constatarmos o quanto a nossa sociedade mudou nos últimos quinze anos!
Neste Agrupamento são desenvolvidos, de forma eficiente os projetos Erasmus; o Ensino Articulado da Música, o Ensino Articulado da Dança, o Desporto Escolar (que lança jovens em clubes profissionais e até em seleções nacionais), que forma desportistas, mas acima de tudo cidadãos, bons cidadãos!
Para prepararmos melhor este complexo ano letivo, realizamos formações para todos os professores e, também, assistentes operacionais e técnicos nas áreas do “Suporte Básico de Vida e Primeiros Socorros”, “Desenvolvimento de uma Educação Inclusiva” e ainda na área da “Autonomia e Flexibilidade Curricular”.

Este ano abrimos quatro turmas de 10.º ano. Temos agora o Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos, o Curso Científico Humanístico de Línguas e Humanidades e o Curso Científico Humanístico de Ciências Socioeconómicas. Parece pouco, mas para quem tinha apenas duas...
É esta capacidade de procurarmos novos desafios, de procurarmos uma educação e formação prospetiva, que nos irá marcar. Este Agrupamento, esta escola, são uma marca do civismo, da cordialidade e do respeito.
Abre-se agora um novo ciclo neste Agrupamento: um ciclo de crescimento, de prosperidade e de sucesso! Este Agrupamento necessita destes valores, a nossa sociedade também!

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

12 Novembro 2018

Realidade Complexa

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.