Correio do Minho

Braga,

- +

Uma iluminação sustentável

O amor nos tempos da cibernética

Escreve quem sabe

2010-12-31 às 06h00

Ana Cristina Costa Ana Cristina Costa

O Inverno corresponde a uma estação onde o gasto de energia é maior. Dentro destes gastos encontram-se o aquecimento e a iluminação. Se no primeiro podemos ter alguma dificuldade, consoante o tipo de aquecimento em nossa casa, no segundo já temos mais hipóteses de poupar, bem como de ajudar o ambiente, eis algumas dicas valiosas:

1) É aconselhável usar lâmpadas de alta potência para ler. Uma lâmpada de 100w consome o mesmo que quatro de 25w, mas emite quase o dobro da luz. As lâmpadas de 25 W fornecem luz suficiente para se conversar à noite, criando um ambiente agradável e reduzindo as facturas da electricidade.

2) Logo que possa troque as lâmpadas incandescentes por lâmpadas economizadoras: fluorescentes tubulares ou fluorescentes compactas. Embora mais caras, emitem a mesma luz, podem durar 8 a 10 vezes mais e economizam até 80% da energia. Ou então as LED (díodo emissor de luz) cada vez mais comuns e 100 vezes mais eficientes. Não gosta do tom azulado? As lâmpadas compactas estão à venda em diferentes espectros de luz, dependendo do objectivo: para trabalhos de minúcia, sensação de aconchego ou cores realistas. As lâmpadas têm o mesmo aspecto e é sinalizado na caixa qual o espectro de luz que emitem.

3) Quando comprar uma lâmpada procure a etiqueta de eficiência energética bem como as classificações ecológicas/económicas. É de salientar que existem no mercado lâmpadas com esta designação que têm uma baixa eficiência energética (classe D ou menos).

4) As lâmpadas fluorescentes compactas têm uma instalação compatível com os casquilhos tradicionais usados para as lâmpadas incandescentes.

5) Prefira a luz natural (adapte a disposição da sala, quarto, etc.) e mantenha os vidros das janelas limpos.

6) As paredes e tectos escuros podem parecer interessantes mas absorvem mais luz. Com cores claras ou branco, nas paredes e tectos, conseguirá o máximo de iluminação com menor número de candeeiros acesos à noite e de dia com os cortinados abertos, essas cores tornam o espaço mais luminoso.

7) Coloque as lâmpadas nos cantos pois as paredes reflectirão mais luz do que se a lâmpada estiver colocada no meio da parede.

8) Instale detectores de presença em cada divisão de passagem (dispensa, corredor, garagem), de modo que as luzes se acendam ao detectar a presença de uma pessoa mas se apaguem logo que ela saia.

9) Se puder, abandone a iluminação total de uma divisão. É mais sustentável usar lâmpadas individuais.

10) Coloque tubos solares - tubos com uma superfície interior super-reflectora para dirigir a luz do exterior para áreas interiores, com má iluminação, tais como corredores e quartos de banho.

11) Consoante a actividade num determinado compartimento da casa escolha a iluminação certa para o mesmo. É essencial o conforto mas também uma utilização mais racional de energia, para que se possa reduzir na factura da electricidade e também na pegada ecológica.

12) Desligue a iluminação sempre que não precise.

13) No exterior, se possível, coloque candeeiros solares.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.