Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Vale a pena a vacinação contra o HPV no sexo masculino?

Uma carruagem de aprendizagens

Voz à Saúde

2018-10-23 às 06h00

Ana Catarina Guimarães

O papiloma vírus humano (HPV), é um vírus muito frequente, responsável em todo o mundo e em ambos os sexos, por cerca de 4,5% dos cancros em geral. É considerado o segundo carcinogéneo mais importante, a seguir ao tabaco, com cerca de 630 000 novos casos por ano. A sua taxa de transmissibilidade é elevada, sendo a via sexual a mais frequente. Estima-se que cerca de 75-80% da população mundial tenha um episódio de infeção por HPV ao longo da vida. Existem mais de 130 tipos de HPV, dos quais cerca de 40 infetam preferencialmente os órgãos genitais e áreas perianais.
Os HPV anogenitais foram divididos em dois grupos: “alto risco” quando existe elevado potencial de desenvolvimento de cancro (do colo do útero, do ânus, da vulva e vagina, do pénis e da orofaringe); e “baixo risco” quando há baixo potencial de desenvolvimento de cancro, responsáveis pelo aparecimento de doença benigna (verrugas genitais, papilomatose laríngea recorrente, lesões de baixo grau do colo uterino e anais).

De que forma é que se pode prevenir?
Vacinando-se. Ao contrário da mulher, não existe rastreio para a prevenção de cancro associado ao HPV no sexo masculino, pelo que a forma de reduzir o risco, individualmente é através da vacinação. Existe apenas uma vacina aprovada para o uso no sexo masculino: Gardasil 9®, vacina nonavalente contra tipos de HPV de “alto risco” e “baixo risco” (6,11,16, 18, 31, 33, 45, 52 e 58).

O esquema de vacinação varia consoante a idade:
- Dos 9 aos 14 anos: 2 doses com 6 meses de intervalo entre elas;
- ? 15 anos: 3 doses (0, 2 e 6 meses).
Idealmente a vacina deverá ser administrada em idades mais jovens, antes do início da atividade sexual. No entanto, recomenda-se a vacinação e esta é benéfica, aos rapazes que já iniciaram atividade sexual. A vacinação é recomendada mesmo em casos em que exista uma infeção prévia pelo HPV, porque confere proteção contra os restantes tipos de HPV, incluídos na vacina. Em Portugal, a vacina está incluída no Programa Nacional de Vacinação mas apenas para o sexo feminino.

Porquê vacinar o sexo masculino?
A carga de doença por HPV é relevante no sexo masculino. Os homens encontram-se em risco de desenvolver verrugas genitais, cancros do ânus, do pénis, da cabeça e pescoço. Beneficiam da imunidade de grupo se a taxa de cobertura no sexo feminino for muito elevada, o que não acontece globalmente. Os homens que têm sexo com homens não beneficiam, de forma significativa, de uma vacina incluída no PNV dirigida apenas ao sexo feminino. A vacina é segura e demonstrou imunogenicidade e eficácia elevada na redução de verrugas genitais e lesões precursoras de cancros genitais e anais em ambos os sexos.
Informe-se com o seu médico de família. Lembre-se, cuide de Si! Cuide da Sua saúde!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.