Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

Venda-se o estádio por 1€ ao SC Braga

Economia Azul - Exploração Sustentável do Mar

Venda-se o estádio por 1€ ao SC Braga

Ideias Políticas

2019-02-05 às 06h00

Francisco Mota Francisco Mota

Este fim de semana fomos confrontamos com mais uma notícia arrepiante para a gestão municipal. As contas municipais estão penhoradas, como consequência de mais uma factura do Estádio Municipal. Convém, antes de mais, contextualizar os bracarenses de que números estamos a falar. Com um equipamento que inicialmente custaria cerca de 60 milhões de euros, feitos os cálculos, as obras do Estádio Municipal de Braga ascendem já ao custo total de cerca de 180 milhões de euros.

Os Bracarenses têm consciência das opções erradas do passado e do custo que isso significa. Viver hoje com os recursos do amanhã evidenciou, na última década, que viveremos encarregados de pagar uma fatura demasiado cara. Revendo um passado bem recente na história do País, compreendemos facilmente que o caminho a seguir apenas poderá ser o do compromisso, da transparência e da responsabilidade.
É necessário rasgar a escuridão das culpas e abrir o horizonte das soluções. Coloquemos décadas de dívida que limitam a crença dos mais jovens no seu próprio futuro no “antigamente” e renovemos a escritura. Impeçamos que os jovens carreguem, no entanto, a cruz dos impostos e o calvário da falência. Neste natal, que vai há pouco mais que 1 mês, solicitei a maior prenda que poderiam oferecer às novas e futuras gerações seria de renegociar o contrato programa do estádio municipal em 2019. Assim sendo, garantíamos que a renda a apagar cobriria a sua manutenção e conservação. Estaria na hora de compreendermos que uma renda de 500,00€ mensais é um valor irrisório e frustrante para as famílias bracarenses, tendo em conta que esse é o valor que maioria paga pela sua habitação.

Embora não tendo respondido ao apelo da Juventude Popular no sentido de firmar, através das ações do clube a que preside, um compromisso inter-geracional, registamos com agrado que, a propósito das comemorações do 98.º aniversário do SCB, o seu presidente reforçou a importância da valorização das novas e futuras gerações do concelho. Impera, portanto, relembrar que a melhor forma de valorizar e responder aos desafios que as novas gerações enfrentam é assegurar a libertação do seu futuro, inaugurando uma nova forma de fazer política. É necessário desonerar os jovens do peso da irresponsabilidade financeira, que transporta consigo, o fardo da dívida e dos impostos que, tal como pedras no seu caminho, obstruem a construção de um futuro em plena liberdade, onde impere a meritocracia, e se estimule a inovação.

O Sporting Clube de Braga adquire grande responsabilidade na garantia de um concelho com finanças públicas equilibradas, por isso, sustentáveis. Embalados pelo ímpeto de defesa das gerações mais jovens, manifestado pelo Sr. Presidente António Salvador, lançamos um novo desafio ao município e ao clube. Propomos que, à semelhança de outras instituições desportivas da região, como foi o caso do Vitória de Guimarães, seja efetuada a venda do Estádio Municipal, por um euro, ao SCB. Desta forma, o clube assumiria os encargos da manutenção e gestão do estádio, o que, até ao final do contrato, representaria uma poupança no mínimo de 40 Milhões ao município Bracarense, num equipamento que é usufruído integralmente pelo clube.

Não é possível argumentar contrariamente a esta decisão invocando a necessidade de maior investimento camarário, no que, às condições de desenvolvimento do SCB, diz respeito. As condições do clube em 2019, nada têm que ver com as do mesmo aquando da assinatura do contrato relativo a administração do estádio em 2004. O clube, com a ajuda da cidade, cresceu, ganhou dimensão e capacidade para prosseguir um projeto desportivo de alta qualidade, e para assumir os encargos para com a manutenção do estádio. Deste modo, seria possível estabelecer uma relação de harmonia entre os munícipes do concelho e o seu clube, fortalecendo, eventualmente, a união (requerida ardentemente pelo presidente do SCB) entre os mesmos. É possível construir um futuro sustentável para as novas gerações, que esperam do seu clube a mesma garra que lhe dedicam e o mesmo amor com que colocam o seu emblema ao peito.

Como diria um filósofo contemporâneo “Não importa o que é o mundo; o que importa são os teus sonhos! Não importa o que tu és; o que importa é o que tu queres ser. Não importa aonde tu estás; o que importa é para onde tu queres ir. Não importa o que já passou; o que importa é o que ainda se vai passar. Para alcançar o futuro, afinal o que importa? Acreditar em ti.”
Acreditamos nos nossos sonhos e queremos agarrar o nosso futuro, por isso queremos uma solução no imediato, na certeza que o tempo urge... O ontem é história. O amanhã é um mistério. O hoje é uma dádiva. Por isso é que é chamado presente.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias Políticas

12 Novembro 2019

Mito desfeito

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.