Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Viana do Castelo e a sua Biblioteca

População da União Europeia sem Facebook? Parece mas...não

Voz às Bibliotecas

2016-10-13 às 06h00

Rui A. Faria Viana

Desde a abertura ao público e até aos dias de hoje, a Biblioteca Municipal de Viana do Castelo acumulou um importante espólio bibliográfico e documental que, muitas vezes, condicionou a sua instalação e foi responsável por mudanças sucessivas de espaços e de localização, em consequência de um dimensionamento que, com o tempo, se revelava inadequado e insuficiente.

A construção do actual edifício para a Biblioteca Municipal insere-se numa perspectiva de valorização desta instituição tendo em atenção o facto de se tratar de uma unidade cultural criada na segunda metade do século XIX. Instituída formalmente em 1888, esta Biblioteca hoje centenária é responsável desde 1912, altura em que é provisoriamente instalada e aberta ao público, pela prestação de um serviço público de grande relevância tanto no seio da comunidade como da região.

A proposta de construção de um edifício de raiz surge da necessidade de dotar o município de uma infraestrutura devidamente adequada e dimensionada às exigências actuais e futuras, capaz de cumprir a missão de uma verdadeira Biblioteca Pública, tendo em atenção as crescentes exigências e solicitações do meio.

Assim, a construção do actual edifício obedeceu aos requisitos impostos para as bibliotecas de leitura pública e que visavam a criação de uma rede nacional de leitura, tendo por base o concelho. No entanto, como as exigências subjacentes à construção desta rede de bibliotecas foram pensadas para dotar todos os municípios portugueses de uma biblioteca de leitura pública, a proposta apresentada para Viana do Castelo, no seu conjunto, atendeu a estas exigências mas contemplou igualmente as necessidades inerentes à realidade local, ou sejam: - de uma biblioteca com características de conservação de um património valioso acumulado ao longo dos anos, e de uma biblioteca capaz de responder de forma adequada às solicitações que lhe foram impostas através da criação de novos serviços que foi disponibilizando.

O novo edifício da Biblioteca Municipal, aberto ao público em Janeiro de 2008, veio a revelar-se imprescindível, não só para receber adequadamente os serviços existentes mas também para permitir a sua expansão no sentido da conquista de novos utilizadores e de uma mais sólida fidelização dos existentes.

A beleza arquitectónica do edifício, projectado por Álvaro Siza Vieira em local privilegiado da cidade, enquadrado com o rio e com o centro histórico, o valioso património bibliográfico e documental, o dinamismo imposto com vista à promoção e enraizamento no meio, e os diferentes serviços vocacionados para satisfazer as necessidades informativas e de fruição cultural dos mais diversos utilizadores são responsáveis por uma forte implantação e aumento de influência da Biblioteca Municipal na comunidade.

Cada vez mais, esta infraestrutura vem assumido um papel relevante na satisfação das mais diversas necessidades junto de muitas entidades e sectores profissionais, destacando-se a sua influência em áreas como as da cultura, da educação e do lazer, o que implica naturalmente uma concentração de esforços e uma adequação de meios aos desafios que lhe são colocados constantemente pela comunidade.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Bibliotecas

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.