Embaixadores e académicos falam da “união” do projeto europeu na UMinho

Braga, Vale do Ave, Ensino

autor

Redacção

contactar num. de artigos 34751

Colóquios de Relações Internacionais realiza-se a 23 e 24 de maio, no campus de Gualtar, em Braga

As embaixadoras do Reino Unido e da Hungria, Kirsty Hayes e Klára Breuer, e o ex-secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Francisco Seixas da Costa, participam esta terça e quarta-feira, dias 23 e 24, nos Colóquios de Relações Internacionais da Universidade do Minho. Esta 38ª edição, subordinada ao tema “O Projeto Europeu: Que União?”, decorre em simultâneo com o Encontro Nacional de Estudantes de Relações Internacionais, que prevê a participação de 200 futuros diplomatas e politólogos. A organização é do Centro de Estudos do Curso de Relações Internacionais (CECRI) da UMinho.


A sessão de abertura é às 9h00, no auditório A1 do campus de Gualtar, em Braga, com as intervenções da pró-reitora para a Internacionalização do Ensino, Carla Martins, do presidente da Escola de Economia e Gestão, Manuel Rocha Armada, da diretora da licenciatura e do mestrado em Relações Internacionais, Alena Vieira, além de Beatriz Silva e Samir Zidane, presidente e vice-presidente do CECRI, respetivamente. Segue-se a sessão “The EU in the Face of Multifaceted Challenges”, que visa questionar o papel da UE no sistema internacional e a forma como este papel é afetado pelas contrariedades internas (crise ucraniana, refugiados, nacionalismos, Brexit) e perspetivado pelo aliado atlântico e pela vizinha Rússia.


A partir das 14h30 é debatido o tema “União Europeia: Um Falso Refúgio”, pela embaixadora da Hungria, Klára Breuer, pela representante da Plataforma de Apoio aos Refugiados, Mariana Barbosa, e pela politóloga Isabel Estrada Carvalhais, da UMinho, sob moderação de Paulo Lobo, ativista da Amnistia Internacional. Como se processa a integração de milhares de refugiados? De que forma estes migrantes podem contribuir para o avanço económico dos países que os acolhem? Porque é que a crise dos refugiados está a ter ondas de choque tão grandes? Estas serão algumas das questões abordadas pelos oradores convidados.


A UE consegue defender-se sem estar na NATO?

O programa do dia seguinte abre às 10h00 com o painel “União Europeia de Segurança e Defesa: Uma Utopia?”, reunindo Carlos Branco (major-general do Exercito Português), Elisabeth Johansson-Nogués (Instituto Barcelona de Estudos Internacionais) e Laura Ferreira-Pereira (Centro de Investigação em Ciência Política da UMinho). O objetivo desta conversa é perceber até que ponto a UE tem conseguido assumir um papel securitário preponderante, como tem evoluído a sua relação com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) e se é possível perspetivar a médio prazo uma política de segurança e defesa a nível comunitário.

Por volta das 14h00, a embaixadora britânica Kirsty Hayes, o antigo secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Francisco Seixas da Costa, e o investigador Charles Powell, diretor do Instituto Real Elcano (Espanha), refletem sobre as principais causas e consequências da saída do Reino Unido da UE. 


*** Nota da UMinho ***

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia