Acordo histórico em Vizela é solução para cenário político inédito

Vale do Ave

autor

Teresa M. Costa

contactar num. de artigos 2480

Foi numa das salas mais simbólicas do concelho - a sala polivalente da Casa do Povo de Vizela - que ontem foi assinado o acordo pós-eleitoral entre o Movimento independente Vizela Sempre e a Coligação PSD/CDS-PP ‘Vizela É Para Todos’ que pretende garantir a estabilidade dos órgãos municipais para os próximos quatro anos indo de encontro à vontade manifestada pelos eleitores que, no passado 1 de Outubro, não conferiram maioria a nenhuma das forças políticas.

Foi perante uma sala cheia que o eleito presidente da Câmara - Victor Hugo Salgado - que liderou o Movimento Vizela Sempre e a quem se juntou o ainda presidente da Assembleia Municipal, Fernando Carvalho - e os líderes das Concelhias do PSD, Jorge Pedrosa, e do CDS-PP, José Abreu, escreveram uma nova página na história do concelho onde, pela primeira vez, as eleições autárquicas não ditaram uma maioria absoluta e, também pela primeira vez, ganhou um movimento independente.

Esta conjugação de factores levou o Movimento Vizela Sempre e a Coligação Vizela É Para Todos a porem de parte as diferenças unindo forças em nome do desenvolvimento do concelho.
Para o presidente eleito, que fez questão de vincar que “foi um decisão conjunta e não de uma ou duas pessoas”, justifica que os programas apresentados pelas duas forças políticas são convergentes e que “as diferenças não criam conflitos, pelo contrário, complementam-se”.

O líder concelhio do PSD, que vai assumir pelouro a tempo inteiro, admite que “não há acordos perfeitos, mas possíveis”, mas realça o entendimento, acima de interesses pessoais e partidários, quer permite “garantir que Vizela estará sempre primeiro”.
O líder do CDS-PP, José Abreu, também reconhece: “o acordo não foi fácil e que não vai totalmente de encontro às nossas pretensões”, mas considera que “os vizelenses merecem mais” e que “não aceitar o acordo iria penalizar mais o concelho”.

Mais que eventuais cedências, Victor Hugo Salgado prefere evidenciar “o acordo histórico para Vizela” e considera que estão reunidas as condições para trabalhar em prol dos vizelenses.
O presidente eleito acredita que há “todas as condições para cumprir os programas” propostos pelas duas forças políticas e garante que o mandato é para quatro anos.
Aos vizelenses, e foram muitos os que fizeram questão de assistir à assinatura do acordo, Victor Hugo Salgado, pede agora “um voto de confiança” para a estratégia que ontem apresentou e que abarca a Assembleia Municipal e ainda poderá ser extensível às juntas de freguesia.

Distribuidos pelouros pelo executivo

Victor Hugo Salgado vai assumir a presidência da Câmara Municipal de Vizela a tempo inteiro, anunciou ontem o próprio na assinatura do acordo pós-eleitoral entre o Movimento que liderou Vizela Sempre e a coligação ‘Vizela É Para Todos’ e onde deu conta da da composição do executivo que, este sábado, é empossado.
O presidente vai assumir a gestão financeira e a área social.

Como vice-presidente, terá Joaquim Meireles que exercerá o mandato a meio tempo, assumindo as obras municipais.
Professora de profissão, Agostinha Freitas também integra o executivo municipal a tempo inteiro e terá a seu cargo a Educação.
O líder da coligação PSD/CDS-PP, Jorge Pedrosa, será, também, vereador a tempo inteiro assegurando a área jurídica.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia