Viana do Castelo: NEOPOP quer ser o primeiro festival certificado em Portugal

Alto Minho

autor

Marta Amaral Caldeira

contactar num. de artigos 1686

Depois de ter recebido 30 mil pessoas na última edição do passado mês de Agosto e ter captado 3,5 milhões de euros para o concelho, o Festival de Música Electrónica NEOPOP de Viana do Castelo 2018 promete “abrir-se mais para a cidade”, garante o seu director, Raúl Duro. O evento conta com o apoio do câmara vianense e o autarca, José Maria Costa, refere que ele serve de “plataforma de promoção da nossa cidade e no nosso turismo”. Os bilhetes já estão à venda, por 65 euros e em formato early-bird.

O Festival NEOPOP - que quer tonar-se no primeiro festival certificado em Portugal - realiza-se pela 13.ª vez no próximo Verão e pretende ser, uma vez mais, um grande atractivo para vários milhares de festivaleiros - muitos dos quais vêm propositadamente do estrangeiro para participar nesta grande festa da música electrónica.
O presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo refere que “o Festival NEOPOP é um dos maiores festivais de música do nosso país e demarca-se dos demais pela sua qualidade e organização”.

E porque se trata de um evento que apela “ao sentido de comunidade” e também porque faz parte da “estratégia de internacionalização da cidade e do concelho”, o autarca José Maria Costa assinala o facto de Viana do Castelo ser “uma cidade acolhedora” por natureza.
A organização do Festival NEOPOP pretende um “maior envolvimento da comunidade” na 13.ª edição do evento e por isso mesmo está a preparar uma série de acções que vão ter ‘palco’ na ‘capital do Alto Minho’.

Raúl Duro frisou que este festival tem tido um crescimento a cada nova edição, mas na edição deste ano esse crescimento foi ainda mais notório.
O responsável pela organização do Festival de Música Electrónica de Viana do Castelo indica que os benefícios que a cidade e o concelho retiram deste evento “tem um grande impacto ao nível da economia local”.

Três milhões e meio de euros de impacto na economia local

Três milhões e meio de euros. Foi este o impacto económico que o Festival de Música Electrónica NEOPOP produziu na sua última edição, ao longo dos três dias em que se realizou no passado mês de Agosto. Grande parte deste impacto económico foi medido ao nível do alojamento, comércio local e restauração.
Em termos de alojamento, o distrito de Viana do Castelo tirou dividendos não só na cidade, como também em Ponte de Lima, Caminha e Vila Praia de Âncora - para onde se estenderam os festivaleiros.

O estudo relativo ao impacto que teve o festival vianense, demonstra que ao nível dos espectadores, foram registadas 52 nacionalidades diferentes, sendo que 38 por cento dos festivaleiros são precisamente, estrangeiros.
O mesmo inquérito, deu a conhecer que a relação com a comunidade local foi classificada como ‘boa’ e ‘muito boa’ por 92 por cento dos festivaleiros, sendo que 26 por cento indicaram que não viriam a Viana do Castelo se não fosse pela via do festival. Entre os festivaleiros, 69 por cento afirmaram voltar no próximo ano e 96 por cento recomendam o festival NEOPOP a outras pessoas.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia