Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Alunos da Sé voltam a trazer à rua as Marchas de Santo António
SC Braga B consegue em Arouca primeira vitória da temporada

Alunos da Sé voltam a trazer à rua as Marchas de Santo António

D. Gualdim Pais reclamado como “herói barcelense”

Braga

2018-06-14 às 10h00

Paula Maia

DESFILE percorreu as principais ruas do centro da cidade, juntando 234 alunos do Jardim-de-Infância da Quinta das Hortas os alunos da EB1 da Sé. Um momento singular desta comunidade que continua a manter viva uma das suas principais tradições.

Ó meu rico Santo António
Ao colo tens o Menino
Põe-me a mim no outro braço
Que ainda sou pequenino

Santo António milagreiro
Meu rico e bom santinho
Aumenta o meu mealheiro
Que eu sou tão pobrezinho

A tradição voltou a cumprir-se. Duzentos e trinta e quatro alunos, 20 do Jardim-de-Infância Quinta das Hortas e 214 da EB 1 da Sé, voltaram ontem à rua para presentear a cidade com as tradicionais Marchas de Santo António que decorrem no dia do santo padroeiro. E foi um desfile de cor, alegria e muita criatividade aquele que os bracarenses puderam assistir nas principais artérias do centro histórico por onde os mais novos desfilaram com cânticos e marchas alusivas ao santo casamenteiro.
Agostinho Chaves, coordenador da EB1 da Sé explica que esta é já uma tradição promovida pelos dois estabelecimentos de ensino, actividade inserida no Plano Anual de Actividades e ligadas ao património cultural da freguesia. “A intenção é preservar os valores culturais da Sé, a localidade onde estamos implementados”, aponta o dirigente, acrescentando que este é um trabalho anual que envolve toda a comunidade educativa. “Cada turma trabalha em contexto de sala de aula. A partir daí são executados todos os preparativos para actividade”, continua.
Cada ano, distinguido pela cor, organizou a sua marcha, responsabilizando-se pelos cânticos, marchas e preparação dos arcos festivos.
Tal como é habitual, as marchas saíram da EB1 da Sé, seguindo pelas ruas Jerónimo Pimentel, Carvalheiras, Rua D. Paio Mendes, Rossio da Sé - onde decorreu uma actuação - Rua do Cabido, Rua D. Diogo de Sousa, Rua dos Capelistas, Largo de S. Francisco, Praça da República, Avenida Central (com actuação), Rua dos Capelistas, Jardim de St.ª Bárbara, Largo do Paço, Rua D. Diogo de Sousa, Arco da Porta Nova, Avenida de São Miguel-o-Anjo, Campo das Carvalheiras e terminando na Rua do Matadouro.
O evento contou com o apoio da Associação de Pais/Encarregados de Educação do JI e EB 1 da Sé, câmara de Braga, entidades privadas e Junta de Freguesia da Sé.
Luís Pedroso, autarca da União de Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade, diz que apesar de constituir já uma tradição, estes estabelecimentos de ensino acabam por “surpreender” os bracarenses a cada ano. “Numa altura em que os professores estão em greve, estas escolas pugnam por ser diferentes porque ano após ano tentam manter esta e outras tradições, tentam reinventar-se, o que não é fácil porque estas actividades tem custos e muitas horas de trabalho. Ter sucesso dá trabalho e, por isso, devemos enaltecer a sua postura”, argumenta o autarca, elogiando o trabalho das escolas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.