Correio do Minho

Braga,

- +
Aprovado concurso para dragagem do portinho de Vila Praia de Âncora
Mostra convida a uma viagem até às origens do território

Aprovado concurso para dragagem do portinho de Vila Praia de Âncora

Iniciativa ‘Braga Plogging’ é para continuar

Aprovado concurso para dragagem do portinho de Vila Praia de Âncora

Alto Minho

2019-05-19 às 06h00

Redacção Redacção

Investimento de 1,8 milhões de euros prevê reabilitação da Duna dos Caldeirões com areia retirada no Portinho. “Luz verde” foi dado pelo Conselho de Administração da Polis Litoral Norte.

A Câmara Municipal de Caminha anunciou a aprovação, pelo Conselho de Administração da Polis Litoral Norte, do lançamento de concurso de empreitada para alimentação artificial, protecção e reabilitação do sistema costeiro natural da Dunas dos Caldeirões que irá permitir a dragagem simultânea do Portinho de Vila Praia de Âncora.
Esta intervenção, em preparação desde meados de 2017, incidirá sobre uma extensão de cerca de 750 metros daquele cordão dunar, a partir da dragagem de areias que se encontram em excesso no portinho de Vila Praia de Âncora, com vista à sua reconstituição e reforço, através da implantação de núcleos resistentes com recurso a geocilindros cheios de areia, complementadas com intervenções de bioengenharia na consolidação e estabilização das margens do rio Âncora e de recuperação e valorização ambiental.

Miguel Alves, presidente da Câmara de Caminha e vogal do Conselho de Administração da Polis Litoral Norte, realça que “esta intervenção tem dupla vantagem porque reforça o cordão dunar dos Caldeirões e permite a dragagem da zona do Portinho que está completamente assoreada”.
“Ao longo dos últimos dois anos estivemos a trabalhar para encontrar as soluções técnicas e financeiras que permitissem que o concurso pudesse avançar. Esta é, por isso, uma boa notícia para todos. Só não é uma excelente notícia porque, infelizmente, a dragagem do Portinho só vai resolver temporariamente o problema que se vem agravando desde as obras inauguradas em 2013. Este é um bom exemplo de um mau exemplo de gestão de recursos públicos: construiu-se um novo Portinho sem ouvir os pescadores, inaugurou-se uma estrutura à pressa em 2013 antes de eleições autárquicas e agora temos todos de pagar sucessivas dragagens para mitigar o problema”, especifica o autarca.

Esta intervenção, com um investimento global estimado em 1,8 milhões de euros, será co-financiada pelo POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, em 75%.
Os restantes 25% serão suportados pela DGRM – Direcção Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos e pelo Estado Português, através de protocolo celebrado com a Polis Litoral Norte.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.