Correio do Minho

Braga, segunda-feira

ARCA foi a melhor marcha na edição deste ano das Festas Antoninas
Professores entregam pré-aviso de greve para início de Outubro

ARCA foi a melhor marcha na edição deste ano das Festas Antoninas

Mais de mil pessoas saborearam o caldo do pote em Sabariz

Vale do Ave

2018-06-14 às 06h00

Redacção

FESTAS ANTONINAS de Vila Nova de Famalicão tiveram nas marchas o seu ponto alto e, este ano, saiu vencedora a Associação Recreativa e Cultural de Antas (ARCA), com o júri a distinguir ainda as marchas de Ribeirão (2.º lugar) e de Lago (3.º lugar).

A ARCA – Associação Recreativa e Cultural de Antas - venceu as marchas antoninas de Vila Nova de Famalicão, que saíram à rua, anteontem á noite, e ‘deslumbraram’ o público.
“O Feiticeiro de Oz” serviu de inspiração para o tema “O Pão de Santo António” e conquistou a votação do júri daquele que é o ponto alto das Festas Antoninas.
Orgulhoso da actuação da associação, o responsável, Ricardo Ribeiro, explicou que esta é uma marcha que fala de amor e esperança.  “Olhamos para o tema deste ano como alimento da alma e de todos os sonhos que projectamos na humanidade”.
Os outros dois lugares do pódio foram ocupados pelas marchas da Associação Recreativa Desportiva Lazer do Ave, de Ribeirão, e da Associação Cultural São Salvador da Lagoa (LACS), segundos e terceiros lugares, respectivamente.
A ARCA mereceu também o reconhecimento do júri de rua vencendo o prémio “A Marcha mais Popular”, conseguindo a terceira vitória consecutiva nesta modalidade.
Por categorias, a ARCA venceu também em “Melhor Coreografia” e “Melhor Letra”; a marcha da União de Freguesias de Esmeriz e Cabeçudos arrecadou o prémio “Melhor Música”. Os “Melhores Arcos” foram para a Associação Cultural e Recreativa de São Pedro de Riba de Ave e “O Melhor Guarda-Roupa” para a Associação Cultural São Salvador da Lagoa.
Mas a noite foi de festa para todos. Vila Nova de Famalicão viveu a sua grande noitada de Santo António, com as onze instituições participantes a percorrerem a cidade numa alegre e saudável disputa de som, luz, cor e brilho.
Com as ruas apinhadas de gente, as marchas desfilaram orgulhosas e majestosas entre a multidão, entoando os seus temas e balançando as coreografias, com os arcos no ar, distribuindo sorrisos e interagindo com os populares que se rendiam a cada tema.
Já nos Paços do Concelho, espaço nobre da cidade, com as bancadas lotadas, as marchas empertigaram-se e com todo o fulgor fizeram a sua apresentação. Os versos entoados tinham eco na plateia, com as claques muito bem organizadas. Com o bairrismo à flor da pele, bandeirinhas, balões e palavras de incentivo as claques puxavam pela sua marcha preferida, num espectáculo que espelha bem a rivalidade em jogo.
Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, estava acima de tudo “orgulhoso pelo magnífico espectáculo”. “A qualidade e beleza das nossas marchas enchem de vaidade qualquer famalicense”, afirmou, completamente rendido a “tanto brilho e tanta beleza”. Questionado sobre a sua marcha preferida, Paulo Cunha disse que “todas elas mostraram grande talento e criatividade”. “Por mim, venciam todas”, atirou.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.