Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Arranca a 2.ª fase da Cidade Desportiva
Cruz Vermelha de Amares quer ter Posto de Emergência Médica do INEM

Arranca a 2.ª fase da Cidade Desportiva

Braga precisa ser “cantada na literatura”

Arranca a  2.ª fase da Cidade Desportiva

Desporto

2019-09-10 às 06h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Obras iniciam-se em Outubro e contemplam, entre outras, a construção de um estádio, áreas residenciais para o futebol profissional e de formação, um pavilhão multiusos, áreas administrativas e de apoio aos associados, bem como um museu.

O SC Braga e o Município de Braga já assinaram a escritura pública para a constituição do direito de superfície a favor do clube sobre os terrenos onde será edificada a 2.ª fase da Cidade Desportiva.
O projecto dos minhotos tem, neste momento, em funcionamento um Centro de Formação e verá, agora, a obra ser alargada por forma a ser possível a construção de várias estruturas: um estádio - com capacidade para 2200 espectadores -, áreas residenciais tanto para as equipas de futebol profissional como da formação, um pavilhão multiusos, um novo espaço de trabalho para o futebol profissional, áreas para os serviços administrativos, uma loja do associado e um museu.

Em comunicado publicado no site oficial, o emblema bracarense refere que “a formalização do acordo permite a consecução da obra, integrada no projecto para a requalificação de uma zona urbana devoluta e que vai passar a constituir a sede de toda a estrutura do SC Braga, desde as suas equipas de futebol e das várias modalidades, passando por áreas administrativas e de apoio aos associados”.
Para além de todas estas construções, o complexo da Cidade Desportiva, que está implementado numa área de terreno anexa ao Estádio Municipal com 17 hectares, vai, desta forma, concentrar todo o espaço do futebol profissional, com a inclusão de mais alguns relvados de apoio.

As obras terão início no próximo mês de Outubro e contemplam uma área de construção total de 29.076 metros quadrados, com arranjos exteriores nas áreas envolventes.
Após a última recondução como presidente do clube, em 2017, António Salvador assumia que o objectivo passava por ter a Cidade Desportiva pronta até 2021, ano em que o clube celebra o seu centenário e, assim, cumprir com uma das bandeiras do seu mandato. Recorde-se que a totalidade desta obra vai custar à SAD uma quantia na ordem dos 20 milhões de euros.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.