Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Colégio fomenta excelência do ensino doutoral na UMinho
Sensibilizar a sociedade para a Espondilite Anquilosante

Colégio fomenta excelência do ensino doutoral na UMinho

Ligaram o quadro eléctrico na segunda parte e até fez curto-circuito no fim

Colégio fomenta excelência do ensino doutoral na UMinho

Ensino

2020-01-02 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Investigadora da Escola de Medicina dirige Colégio Doutoral da Universidade do Minho. Novo órgão começa a trabalhar em 2020.

Margarida Correia Neves, docente e investigadora do Instituto das Ciências da Vida e da Saúde, lidera o recém criado Colégio Doutoral, órgão que iniciará este ano um trabalho de fomento da “excelência no ensino doutoral” na Universidade do Minho e de expansão do seu “reconhecimento nacional e internacional”.
Dinamizar a partilha de boas práticas entre programas doutorais, organizar planos de formação complementar, propor referenciais mínimos para a formação doutoral, fomentar estratégias de atracção e recrutamento dos melhores estudantes, dinamizar acções promotoras da integridade e da ética académica na formação doutoral e promover iniciativas com vista ao financiamento da formação doutoral são alguns dos objectivos específicos do novo órgão aprovado no Verão passado pelos órgãos da Universidade do Minho.

Cerca de 10% dos estudantes da Universidade do Minho frequentam cursos de doutoramento, considerando o reitor Rui Vieira de Castro que este é o momento certo para investir neste grau de formação, até porque a qualidade da investigação que é realizada na na instituição é nacional e internacionalmente reconhecida.
Antecipando o trabalho da comissão coordenadora do Colégio Doutoral, Margarida Correia Neves defendeu mais “atenção às saídas profissionais” dos doutorados.
Tradicionalmente, o doutoramento prepara os formandos para a carreira académica, seja na investigação ou na docência, pelo que a directora do Colégio Doutoral propõe “uma preparação também para outras carreiras”.
O Colégio Doutoral surge, como se refere no preâmbulo do despacho da sua criação vencer os desafios da educação doutoral que “tem vindo a merecer a atenção de diversas instituições e organizações”.
Margarida Correia Neves foi directora dos programas doutorais da Escola de Medicina da Universidade do Minho e integra a direcção de um programa doutoral interuniversitário. Esteve envolvida na certificação dos programas de doutoramento da Escola de Medicina.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.