Correio do Minho

Braga, terça-feira

Corpo europeu de solidariedade abre portas e responsabilidades à juventude
Melhor arraque de sempre à boleia de Pedro Nuno e Chiquinho

Corpo europeu de solidariedade abre portas e responsabilidades à juventude

Braga acolheu Erasmus National Games

Braga

2018-10-10 às 06h00

Teresa M. Costa

Agência Nacional Erasmus+ apresentou, ontem, em Braga, o novo Corpo Europeu de Solidariedade, que traz algumas novidades em matéria de voluntariado e projectos de solidariedade convocando os jovens à escala nacional e europeia.

Apresentado, ontem, em Braga, o Corpo Europeu de Solidariedade (CES) já coloca Portugal como o país da União Europeia (UE) com o maior número de inscrições no portal do programa com quase cinco mil inscritos num primeiro ‘round’ que decorre até 16 de Outubro.
Pela primeira vez, há um conjunto de intenções, que passa por mobilizar 100 mil jovens, à escala da União Europeia, para actividades de voluntariado e projectos de solidariedade até 2020, mas acompanhado de um envelope financeiro capaz de as concretizar, sublinhou o director da Agência Nacional Erasmus+ Juventude em Acção, Luís Alves, ontem, à margem da apresentação do CES.

Só para o primeiro ‘round’ de candidaturas estão disponíveis, no caso de Portugal, um milhão e meio de euros, verba que sobe para perto de três milhões nos próximos dois anos.
À escala europeia, o montante ascende a perto de 400 milhões de euros até 2020.
Luís Alves destaca o empenho nas políticas europeias de juventude, prevendo-se que o próximo Erasmus+ praticamente duplique, passando de 14,7 mil milhões para 30 mil milhões de euros para lá de 2020.
O dirigente nacional da Agência Nacional assume que “é uma nova ambição num contexto de Brexit e de contenção orçamental”.

Para Luís Alves, o CES é mais que o até agora Serviço Voluntário Europeu com mais dinheiro, transportando alguns sinais de continuidade, mas com inovações capazes de gerar novas oportunidades.
Uma das novidades elogiadas pelo director da Agência Nacional Erasmus+ é o apoio a projectos de mobilidade nacional, que se concretiza pela primeira vez, a par da mobilidade transnacional.

Outra inovação do CES é a possibilidade de apoiar projectos de mobilidade e voluntariado em contexto profissional, através de estágios profissionais e/ou contratos com estruturas que desenvolvem acções na área social.
Outro avanço deste Corpo de Solidariedade é o apoio a projectos de grupos de jovens informais que, desta forma, “podem dar respostas reais às necessidades da sua comunidade” explica Luís Alves que acredita que a porta de entrada para a cidadania e para o compromisso com a comunidade é o apoio a projectos na sua realidade mais próxima.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.