Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Cortejo etnográfico mostrou riqueza da tradição folclórica bracarense
Juniores do SC Braga campeãs regionais de voleibol

Cortejo etnográfico mostrou riqueza da tradição folclórica bracarense

Quando a GNR bate à porta dos idosos e ajuda a combater a solidão

Cortejo etnográfico mostrou riqueza da tradição folclórica bracarense

Braga

2019-06-17 às 06h00

Miguel Viana Miguel Viana

O Cortejo Etnográfico levou até ao epicentro das festas de São João a tradição folclórica bracarense que juntou mais de 300 participantes.

O São João de Braga voltou a dar destaque à cultura folclórica de Braga e juntou, ontem pelas ruas do centro histórico da cidade, mais de três centenas de participantes que espalharam cor, alegria, numa montra viva da tradição folclórica bracarense.
Tendo como ponto de partida a Rua de S. João, o cortejo desfilou pela cidade os diferentes trajes e acessórios da nossa etnografia.

Milhares de pessoas nas ruas puderam admirar as belas capotilhas que são pequenas capas traçadas sobre o peito, usadas pelas mulheres da cidade, tornadas num marco tão diferenciador da etnografia bracarense.
Num retrato de Braga nos tempos idos, muitos bracarenses comentavam essas memórias da cidade dos anos 50 que ainda era marcadamente rural.
Além do Cortejo Etnográfico, houve lugar para espectáculos de rua conduzidos pelos grupos participantes. O folclore subiu ao palco da Praça da República num espectáculo que juntou o Grupo Folclórico da Universidade do Minho, os Sargaceiros da Apúlia, Grupo Folclórico da Casa do Povo de Santa Cruz do Bispo – Matosinhos, Grupo Etnográfico de Areosa – Viana e Grupo Folclórico Dr. Gonçalo Sampaio.

Vestidos a rigor, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, e a vereadora da Cultura, Lídia Dias, abriram o cortejo etnográfico que deslumbrou quem assistia nas ruas da cidade.
O autarca bracarense realçou a dimensão etnográfica do S. João. “Esta é uma das dimensões muito importantes do S. João, esta dimensão etnográfica daquilo que são as nossas raízes, as nossas tradições, o nosso trajar como vai contando um pouco da história da comunidade, os hábitos de trabalho, os hábitos de romaria. É isso que queremos preservar e mostrar a toda a população e a quem nos visita numa dimensão pedagógica também incutida neste S. João”.

Ricardo Rio afirmou que a cidade “tem muito orgulho nestas dimensões, naquilo que são os valores da cultura popular, dos muitos grupos folclóricos que trabalham diariamente ao longo de todo o ano para projectar a imagem da cidade dentro e fora de portas e este é também um tributo a todo esse trabalho que hoje mostramos com este cortejo etnográfico”.
O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, assinalou ainda que “este é o maior cortejo etnográfico de sempre. O desfile deste ano conseguiu reunir que mais de 300 participantes de vários grupos folclóricos e é isso que desafiamos, a cada novo ano, a que haja cada vez mais, bracarenses e instituições associarem-se a nós e fazer deste o maior S. João”, salientando o forte “espírito de coesão que existe entre toda a comunidade e a população a fazer cada uma das iniciativas que integram a extensa programação das festas de S. João de Braga”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.