Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Crescimento assinalável desafia a Lactilouro
Trajes do Baixo Minho desfilaram na passerelle

Crescimento assinalável desafia a Lactilouro

Novo ano traz música e instalações ao gnration

Economia

2018-11-28 às 15h15

Redacção

Com 28 colaboradores, a Lactilouro exporta para 10 países: Espanha, Alemanha, Bélgica, França, Reino Unido, América do Sul, África do Sul, Estados Unidos, Canadá e Líbano. Dubai é o próximo mercado que a marca pretende conquistar.

A Lactilouro, empresa nascida há dois anos do seio da Lourofood, e que produz os queijos de alta gama da marca Dom Villas, prevê fechar o exercício de 2018 com uma faturação recorde de 1,25 milhões de euros, o que representa um crescimento de 50% face a 2016, ano em que foi constituída.
2019 promete ser um ano ainda mais auspicioso com uma previsão de faturação de 2 milhões de euros, por via do reforço da capacidade industrial e do recurso a novas tecnologias, resultado de uma candidatura aprovada ao PDR 2020. A empresa possui departamento próprio de I&D e investiu, só este ano, cerca de 2 milhões de euros em novos equipamentos tecnológicos.
A Lactilouro, que esta segunda-feira recebeu a visita do Ministro da Agricultura, Capoulas Santos, e do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, acompanhados pelo Presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, é uma nova unidade vocacionada para a produção de queijos premium da marca Dom Villas, sendo gerida pela mesma administração da Lourofood, os irmãos Luís e Rogério Lourenço, ambas instaladas na freguesia do Louro, concelho de Vila Nova de Famalicão.
Com 28 colaboradores, a Lactilouro exporta para 10 países: Espanha, Alemanha, Bélgica, França, Reino Unido, América do Sul, África do Sul, Estados Unidos, Canadá e Líbano. Dubai é o próximo mercado que a marca pretende conquistar.
Já a Lourofood completou recentemente 18 anos de existência. Luís e Rogério Lourenço encontraram na tradição da família uma oportunidade de negócio e arriscaram tudo. Os irmãos iniciaram a aventura de produzir o queijo Dom Villas no dia 15 de novembro de 2000 a partir de uma receita familiar e procurando dar valor acrescentado ao leite produzido na agropecuária dos pais. De lá para cá, o crescimento foi a pulso, mas constante. A Lourofood fixou a marca Dom Villas no mercado e depressa alargou a sua atividade a outros produtos que foi desenvolvendo.
Atualmente, a empresa conta com 87 colaboradores e prevê faturar 20,5 milhões de euros em 2018 e 23 milhões de euros em 2019.  

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.