Correio do Minho

Braga, quinta-feira

D. Gualdim Pais reclamado como “herói barcelense”
Comunidades de Famalicão vão gerar e gerir agenda com o apoio do município

D. Gualdim Pais reclamado como “herói barcelense”

“Braga é um exemplo na criação de emprego”

Cávado

2018-09-23 às 06h00

José Paulo Silva

Câmara Municipal de Barcelos arrancou com Jornadas Gualdinianas. Até agora amarense, o herói da formação de Portugal é dado como natural do lugar de Mereces, em Barcelinhos.

“D.?Gualdim Pais é um herói barcelense”, sentenciou ontem o investigador António Afonso, em Barcelos, na primeira jornada do programa de comemorações do 900 anos do nascimento daquele figura marcante da formação da nacionalidade portuguesa.
Apresentado ainda em enciclopédias e manuais de História como natural de Amares, o monge-guerreiro é reclamado agora por Barcelos, com a Câmara Municipal a associar-se a outras autarquias e à Santa Casa da Misericórdia de Braga na organização das ‘Jornadas Gualdinianas’, que prosseguem a 29 de Setembro, em Braga, com a celebração de uma missa templária e a realização de percursos por monumentos da época em que Gualdim Pais passou pela cidade dos arcebispos.

“Não havendo certidão de nascimento, é difícil ter garantias do local de nascimento”, alertou ontem António Afonso no auditório da Câmara Municipal de Barcelos, convicto, no entanto, com base em variadas fontes, que ‘Marecos’, topónimo apresentado em vários documentos com local de nascimento de D.?Gualdim Pais, não corresponde à actual vila de Amares, antes ao lugar de Mereces, na freguesia de Barcelinhos.
Na celebração do nono centenário do nascimento de D. Gualdim Pais, realizou-se, ontem de manhã, uma subida ao monte da Franqueira, com partida simbólica do lugar de Mereces. Os participantes tiveram oportunidade de visitar as ruínas do Castelo de Faria, onde o historiador Carlos Alberto Brochado de Almeida justificou a importância do sítio no movimento de revolta de nobres do Condado Portucalense que deu origem à formação de Portugal.

Este especialista dissertou, de forma mais sistematizada, na sessão da tarde, realizada no auditório da Câmara Municipal de Barcelos, sobre ‘A importância do Castelo de Faria na Fundação da Nacionalidade Portuguesa’.
Ontem foi também apresentado o romance histórico ‘O Fronteiro de Deus – A Vida Heróica de D. Gualdim Pais, o maior monge-guerreiro de Portugal’, da autoria do escritor barcelense Fernando Pinheiro, obra em que se baseia a peça de teatro apresentada, anteontem e ontem, pela companhia Nova Comédia Bracarense, no Teatro Gil Vicente.

O drama histórico ‘O Fronteiro de Deus – A Vida Heróica de D. Gualdim Pais, o maior monge-guerreiro de Portugal’ percorre o roteiro de vida de D. Gualdim Pais, desde o seu nascimento em Santo André de Marecos (hoje um lugar de Barcelinhos), em 1118, até à sua morte em Tomar, em 1195, na condição de Mestre da Ordem do Templo, depois de passagens por Coimbra e pela Terra Santa, onde se fez monge, militar e templário.
Além de Barcelos, mais cinco municípios associaram-se ao 9.º Centenário do Nascimento de D. Gualdim Pais. O programa que arrancou em Barcelos, passará ainda por Coimbra, Tomar e Vila Verde.
A Câmara Municipal de Amares demarcou-se das comemorações, tendo o seu vice-presidente Isidro Araújo, considerado descabida a naturalidade barcelense de Gualdim Pais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.