Correio do Minho

Braga,

- +
Em Famalicão a Cultura está mais próxima das pessoas
Ruínas da ‘Domus’ a visitar às sextas-feiras

Em Famalicão a Cultura está mais próxima das pessoas

“O Gil terá de ser uma equipa sem medo” na Luz

Em Famalicão a Cultura está mais próxima das pessoas

Vale do Ave

2019-06-27 às 20h12

Redacção Redacção

Município apresentou hoje o “Há Cultura”, projeto de programação e criação cultural descentralizada  

“Qualificar as pessoas a partir da cultura, facilitando o seu acesso à fruição de eventos culturais qualificadores e valorizadores das suas competências que serão decisivas para a sua capacitação e formação pessoal e profissional”. É com os olhos postos no crescimento individual e comunitário que a Câmara Municipal de Famalicão acaba de pôr no terreno o “Há Cultura”, um projeto de programação e criação cultural descentralizada criado para que haja em todo o concelho um maior e melhor acesso à cultura.  
O projeto vai gerar uma agenda cultural periódica descentralizada que levará eventos culturais diferenciadores e participativos às diferentes freguesias de Famalicão e fomentará a qualificação e criação local.
“Vamos fazê-lo com a colaboração de todas as entidades concelhias, porque este projeto reclama e exige para si o envolvimento muito ativo dos agentes culturais do território”, explicou hoje o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, na conferência de imprensa de apresentação pública do projeto.
O autarca fala numa “proposta diferenciadora e qualificadora para o território” que, acredita, “vai melhorar a prestação cultural de todo o concelho”. E explica: “Não só porque vamos tirar as pessoas de casa para desfrutarem de eventos culturais, mas porque vamos dar condições aos agentes do território para que cresçam, ganhem dimensão e se qualifiquem”, explicou.
Inserido no programa Famalicão Comunitário, como um processo que é entendido na perspetiva de contribuição da cultura para a alavancagem do desenvolvimento integrado do território, o “Há Cultura” será desenvolvido por uma equipa municipal e pelos agentes e coletividades culturais presentes no seio das 10 Comissões Sociais InterFreguesias do concelho. São elas: CSIF de Castelões, Oliveira São Mateus, Oliveira Santa Maria, Riba de Ave e Pedome; CSIF de Fradelos, Ribeirão e Vilarinho das Cambas; CSIF de Abade Vermoim, Antas, Calendário, Famalicão, Brufe e Gavião; CSIF de Portela, Telhado, Vale São Cosme, Vale São Martinho, Requião e Cruz; CSIF de Bairro, Carreira, Bente, Delães, Ruivães e Novais; CSIF de Joane, Vermoim, Pousada de Saramagos e Mogege; CSIF de Gondifelos, Cavalões, Outiz e Louro; CSIF de Lousado, Esmeriz e Cabeçudos; CSIF de Landim, Avidos, Lagoa e Seide, e, por fim, CSIF de Nine, Arnoso Santa Eulália e Santa Maria, Sezures, Lemenhe, Mouquim e Jesufrei.   
Pretende-se formar novos públicos, capacitar agentes locais, promover o acesso à fruição cultural e criar novas dinâmicas culturais locais, nomeadamente através da criação de projetos-âncora de referência em cada Comissão Social Interfreguesia.
Os objetivos passam pela formação de novos públicos, itinerância local e concelhia, cocriação de eventos, capacitação dos agentes culturais locais, promoção do acesso à fruição cultural e criação de novas dinâmicas culturais locais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.