Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Festival Guimarães Jazz continua a ser “um marco na história da cidade”
Colisão violenta na EN202 causa um ferido grave

Festival Guimarães Jazz continua a ser “um marco na história da cidade”

Projeto de Modernização do Aproveitamento Hidroagrícola de Sabariz-Cabanelas

Festival Guimarães Jazz continua a ser “um marco na história da cidade”

Vale do Ave

2019-10-22 às 06h00

Miguel Viana Miguel Viana

Iniciativa decorre entre os dias 7 e 16 de Novembro em vários espaços da cidade e chamou músicos nacionais e estrangeiros. A participação da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo e da Orquestra de Guimarães são as apostas deste ano.

Músicos como Charles Lloyd, António Sánchez, ou Miguel Moreira, integram a edição deste ano (a 28.ª) do Guimarães Jazz. O evento decorre de 7 a 16 de Novembro no Centro Cultural Vila Flôr e no Centro Internacional da Artes José de Guimarães, e foi apresentado ontem publicamente.
Relevando que o programa tem importância na vertente formativa dos públicos, a vice-presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Adelina Pinto, destacou a importância do evento para o município. “O Guimarães Jazz continua a ser um marco fundamental na cidade e na história da cultura da cidade. O Guimarães Jazz tem trazido transdisciplinaridade à cidade”, destacou Adelina Pinto.

A também vereadora da Cultura da autarquia vimaranense considerou também que o evento permite contribuir para a formação de novos públicos. “Nós precisamos de ter programas abrangentes como este, porque é preciso captar novos públicos. É preciso perceber que o jazz abre para o blues, para o rock, para vários estilos”, explicou Adelina Pinto.
O director artístico, Ivo Martins, destacou a presença de vários músicos, essencialmente portugueses, com uma atenção especial aos alunos do Curso de Jazz da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESAMAE) e da Orquestra de Guimarães. “O festival estabelece a ponte entre os músicos internacionais e nacionais, com o objectivo de dar a conhecer o jazz português”, declarou Ivo Martins.

O presidente da Convívio - Associação Cultural, César Machado, lembrou a ligação histórica da colectividade ao evento, e considerou que “o Guimarães Jazz colocou a cidade no mapa da música jazz”. O responsável apresentou ainda como novidades, as presenças da ESMAE e da Orquestra de Guimarães.
O presidente da ESMAE, António Augusto Aguiar, defendeu que “a participação da orquestra (com alunos dos cursos de Jazz e de Música Clássica) é importante para que tenham acesso à dinâmica de um festival como este. Os alunos de violino querem ter esta experiência de contactarem com músicos e perceberem como se faz este tipo de música”. Opinião idêntica Domingos Castro, da Orquestra de Guimarães. “A nossa actuação é uma pequena pérola no festival. É um festival com uma componente poética forte um lirismo exacerbado, que nos obriga a sair da nossa zona de conforto”, indicou Domingos Castro.

Programa inclui concertos e sessões

Charles Lloyd é o nome que ‘abre’ o festival, ao actuar a partir das 21.30 horas do dia 7, no Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF)
No dia seguinte é a vez de António Sánchez and Migration subirem ao palco do mesmo espaço, a partir das 21.30 horas.
Os acordes do Trio Oliva/Boisseau/Rainey, ouvem-se a partir das 17 horas do dia 9 no Pequeno Auditório do CCVF. Nesse dia, mas à noite, no Grande Auditório, actuam Vijay Iver and Craig Taborn.
O Centro Internacional das Artes José de Guimãrães (CIAJG) acolhe o concerto de Miguel Moreira, Lucien Dubuis, Mário Costa, Rui Rodrigues e Valter Fernandes (Porta Jazz e Guimarães Jazz), no dia 10, às 21.30 horas.
O dia 11 fica marcado pela actuação da ICP Orchestra, no CCVF, às 21.30 horas.

No mesmo local e hora, mas no dia 12, no CCVF, ouve-se a música de Gustavo Costa, Julius Gabriel e Gonçalo Almeida (Sonoscopia/Guimarães Jazz).
Joe Lovano Tapestry Trio com Marilyn Crispell e Carmén Castaldi actuam no CCVF no dia 13.
Estão ainda agendados espectáculos de Lynda Nyberg Quintet e Orquestra de Guimarães (dia 14), Rudy Royston (dia 15), Geof Bradfield Quintet (dia 16) e Andrew Rathburn Large Emsemble (dia 16).
O programa inclui ainda animações musicais, ‘Jam Sessions’ (tocar de improviso) e oficinas de jazz.
O programa completo pode ser consultado em www.guimaraesjazz.pt.
O bilhete de acesso a todos os concertos custa 90 euros.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.