Correio do Minho

Braga,

- +
GNR munida de novas tecnologias sinaliza áreas críticas para limpar
Bilharistas vianenses Henrique Correia e Vânia Franco recebidos na Câmara Municipal depois de se sagrarem campeões europeus

GNR munida de novas tecnologias sinaliza áreas críticas para limpar

Adoptado por alguns, o rio que nasce e percorre a cidade tem que ser de todos

GNR munida de novas tecnologias sinaliza áreas críticas para limpar

Cávado

2019-03-14 às 06h00

Teresa M. Costa Teresa M. Costa

Na Operação Floresta Segura a GNR recorre às novas tecnologias para sinalizar as áreas prioritárias em termos de gestão de combustível. No distrito de Braga, os militares estão a palmilhar 96 freguesias em 11 concelhos.

É com recurso às novas tecnologias, de tablets em punho e com o apoio de fotografias de satélite, que a GNR está a palmilhar o território do país para georrefenciar as áreas prioritárias em matéria de limpeza florestal.
Em nome de uma ‘floresta segura’, os militares do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) e do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) assumiram esta missão e têm estado no terreno, todos os dias, aproveitando para contactar a população e sensibilizá-la para a importância de cumprir a lei em matéria de gestão de combustível.
No distrito de Braga, a GNR está a passar a “pente fino” as 96 freguesias de 1.ª e 2.ª prioridade espalhadas por 11 concelhos.

As imagens de satélite são cruzadas com o registo cadastral e com os Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI) para identificar as situações mais críticas que são sinalizadas com as respectivas coordenadas e registo fotográfico.
É depois feito o registo informático com a georreferenciação de todos os locais que têm de ser limpos e cujo prazo de limpeza termina amanhã.
O ‘Correio do Minho’ acompanhou uma das muitas acções que a GNR tem em curso, desta feita em Rendufinho, uma das freguesias de 1.º prioridade do concelho da Póvoa de Lanhoso.
Além da GNR, participaram nesta acção o presidente da Junta de Freguesia de Rendufinho, Bernardino Guimarães, o vereador da Protecção Civil do Município da Póvoa de Lanhoso, André Rodrigues, e Manuela Freitas, também do serviço municipal de Protecção Civil.

As sedes de junta de freguesia têm sido o ponto de encontro para quem quer esclarecer dúvidas, mas a GNR contacta as pessoas e acompanha-as ao local se as dúvidas persistirem, explica o chefe do Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente (SEPNA) do Comando Territorial (CTER) de Braga, Major Paulo Delgado.
Em Rendufinho, e tal como tem sucedido noutras localidades, a preocupação da GNR foi sensibilizar para as normas que decorrem da lei.

O oficial da GNR, que destaca a adesão, enaltece a colaboração dos municípios, e mais directamente no terreno, dos presidentes de junta, reconhecendo que “sem isso não era possível”.
O vereador da Protecção Civil destacou o carácter pedagógico da presença da GNR, considerando que “é essencial ensinar às pessoas o que devem fazer, como e quando”.
André Rodrigues manifestou ainda a disponibilidade do Município da Póvoa de Lanhoso para colaborar neste tipo de acção e noutras com a GNR e com os bombeiros.
O presidente da Junta local também evidenciou a mais-valia da sensibilização da GNR e disponibilizou-se para auxiliar.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.