Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Governo anuncia “mais apoios” à qualificação da oferta turística
Danilo Rampulla: “temos obrigação de ganhar”

Governo anuncia “mais apoios” à qualificação da oferta turística

Cidade Europeia do Desporto “valeu claramente a pena”

Governo anuncia “mais apoios” à qualificação da oferta turística

Alto Minho

2019-11-22 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

Pedro Siza Vieira, ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, anunciou, ontem, em Viana do Castelo, “mais apoios públicos” para potenciar o investimento no sector hoteleiro e turístico.

O governo vai reforçar a Linha de Apoio à Qualificação da Oferta hoteleira e turística nos próximos quatro anos com mais 250 milhões de euros. O ministro de Estado da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, garantiu, ontem, em Viana do Castelo, “mais apoios públicos” para investimento nas empresas do sector hoteleiro e turístico sobretudo para potenciar a sua “presença nas plataformas digitais” e a “requalificação dos equipamentos”, mas avisou os operadores privados que é preciso unirem-se para ganhar “escala”.

A sustentabilidade e a economia circular, a gestão da água e eficiência energética e a digitalização das empresas e das ofertas turísticas são alguns dos maiores desafios que se colocam ao sector, segundo o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital. O governante participou, ontem, no 31.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, organizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que decorre até hoje em Viana do Castelo, para falar aos empresários das “mudanças” que estão a acontecer e que é preciso acompanhar, enunciando algumas das medidas que o governo já delineou para justificar uma revisão da Estratégia do Turismo para a década, no sentido de se ir pensado já nas “novas tendências” - que, a seu ver, “serão decisivas, não só no sector, mas na economia como um todo”.

Olhando os novos formatos de alojamento, para a questão do congestionamento que existe em determinados destinos turísticos, para soluções como os grandes ‘resorts familiares’ e para públicos em massa, Pedro Siza Vieira apela à inovação.
“Vamos apoiar o investimento das empresas do sector para que possam responder também a todos estes desafios”, indicou o ministro de Estado, da economia e da Transição Digital, advertindo os empresários para a necessidade de “nos reposicionarmos face à urgência de novos formatos no mundo”.

Marcelo diz que Turismo deve pôr fasquia “mais alta”

O Presidente da República (PR) apelou à interacção dos vários sectores da economia na “definição da estratégia para o futuro do turismo”, que deverá colocar a fasquia da qualidade mais alta para os próximos 10 anos.
Na mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa aos 450 congressistas do 31.º Congresso Nacional de Hotelaria, lida, ontem, pelo assessor para os Assuntos de Economia, Empresas e Inovação, defendeu que “preparar o amanhã no turismo, tal como noutros sectores, implica visão sistémica e interacção dos vários sectores da economia. Se antevemos hoje alterações de ciclo, então é altura de estarmos alinhados quanto ao caminho que vamos percorrer, cooperar mais e inovar melhor. É a hora de colocar a fasquia da qualidade mais alta para os próximos dez anos”.
O PR disse ainda, ter “a certeza de que - no turismo e em toda a economia - o Estado, os agentes económicos e a sociedade no seu todo saberão responder com confiança e sempre com esperança em Portugal”. Apontou que “hoje faz ainda mais sentido a reflexão sobre a sustentabilidade do crescimento no sector”.

“Precisamos de hotéis quatro estrelas”

O presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, José Maria Costa, desafiou, ontem, os maiores investidores nacionais do sector da hotelaria e turismo a apostar na construção de novos hotéis na capital do Alto Minho, sobretudo hotéis de quatro estrelas.
O autarca de Viana fez o pedido, ontem, no 31.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, organizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que se realiza até hoje, em Viana do Castelo, onde marcam presença os maiores operadores do sector. O edil diz que Viana precisa de mais unidades hoteleiras para responder à crescente procura turística a que tem assistido, nomeadamente, nos últimos cinco anos, beneficiando, sobretudo, do contexto da Eurorregião e das visitas dos turistas galegos. Mas para José Maria Costa é preciso continuar “a seduzir” mais os turistas espanhóis para Portugal com uma melhor oferta e adianta que Viana ‘namora’ um novo investimento de “13 milhões de euros” na construção de um “hotel três estrelas de uma cadeia francesa” para 80 quartos no centro da cidade.

“Há aqui um enorme potencial de crescimento e capacidade de desenvolvimento”, advertiu o autarca, apontando para as grandes potencialidades turísticas de Viana do Castelo como o Caminho da Costa entre os Caminhos de Santiago de Compostela por onde passam milhares de peregrinos de todo o mundo e para a situação de estar localizada a 45 minutos dos Aeroportos do Porto e de Vigo (Galiza) e próxima das grandes Universidades do Porto, Minho e Vigo e do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (em Braga).

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.