Correio do Minho

Braga, terça-feira

Grupo ‘Lusíadas Saúde’ ocupa antigo bloco operatório
Guimarães avança Plano Municipal de Promoção da Actividade Física

Grupo ‘Lusíadas Saúde’ ocupa antigo bloco operatório

Braga acolheu Erasmus National Games

Braga

2018-10-10 às 06h00

José Paulo Silva

Misericórdia arrenda edifício do antigo bloco operatório a um grupo privado de saúde. Clínica de Santa Tecla instala-se no centro da cidade.

A Santa Casa da Misericórdia de Braga vai arrendar ao grupo ‘Lusíadas Saúde’ o edifício do antigo bloco operatório do Hospital de S. Marcos. Os termos do contrato de arrendamento foram aprovados, anteontem, em assembleia geral da instituição.
A mesa administrativa da Misericórdia cumpre, assim, mais uma etapa no processo de reocupação dos edifícios deixados vagos em 2011 com a transferência do Hospital de Braga para as actuais instalações em Sete Fontes.

Depois da recuperação do Palácio do Raio para Centro Interpretativo das Memórias da Misericórdia de Braga e da cedência de três outros edifícios do Complexo S.?Marcos ao grupo ‘Vila Galé’ para a instalação de um novo hotel, o ex-bloco operatório passará a ser utilizado pelo grupo ‘Lusíadas Saúde’ que, em 2016, adquiriu a Clínica Médico Cirúrgica de Santa Tecla, no âmbito de uma política de criação de uma rede de unidades de saúde de proximidade.

Bernardo Reis, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Braga, relevou a importância daquelas operações para a saúde financeira da instituição, atendendo à perda da renda mensal de 25 mil euros paga pelo Estado até 2011 pela ocupação dos edifícios do Complexo S.?Marcos, bem como aos gastos acrescidos, desde então, com a manutenção e a vigilância de uma significativa área construía no centro da cidade de Braga.
Concretizado o arrendamento do antigo bloco operatório, fica apenas a aguardar nova utilização o pavilhão sul, edifício para o qual a Misericórdia de Braga já tem aprovado projecto para a instalação de uma unidade de cuidados continuados, paliativos e demências, valências que aguardam por financiamento nacional ou comunitários.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.