Correio do Minho

Braga,

III Ciclo de Concertos de Órgão regressa a Famalicão e Santo Tirso
Rocha Armada preside à Associação Europeia de Gestão Financeira

III Ciclo de Concertos de Órgão regressa a Famalicão e Santo Tirso

Arqueólogos da UMinho já estão a estudar os ‘fortins’ do Extremo

Vale do Ave

2017-10-13 às 15h15

Redacção

Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso acolhem, de 20 a 29 de outubro, o III Ciclo de Concertos de Órgão, com a participação de alguns dos maiores nomes do órgão em Portugal.

Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso acolhem, de 20 a 29 de outubro, o III Ciclo de Concertos de Órgão, com a participação de alguns dos maiores nomes do órgão em Portugal.

Depois de um primeiro fim-de-semana com três concertos marcados para Santo Tirso, no Mosteiro de São Bento, no dia 20, na Igreja Matriz de Fontiscos, no dia 21, e na Igreja Matriz de Guimarei, no dia 22, a iniciativa transfere-se para o concelho famalicense, com três concertos finais na Igreja Matriz de Telhado, no dia 27, pelas 21h00, na Igreja Matriz de Mouquim, no dia 28, pelas 21h00, e na Igreja Matriz de Ribeirão, no dia 29, às 17h00.

Todos os concertos são de entrada livre, sujeitos à lotação de cada igreja.
De acordo com o diretor artístico da iniciativa, Marco Brescia, a iniciativa pode “ufanar-se de ser a única iniciativa do género em todo o país que, para além de realizar concertos em recintos dotados de um órgão de tubos próprio, contempla igualmente comunidades que não dispõem de um órgão autêntico e que, através da presente iniciativa, recebem temporariamente um órgão portátil que lhes possibilita, assim, um acesso direto ao indescritível encantamento que só um órgão verdadeiro é capaz de proporcionar”.

Para o concerto na Igreja Matriz de Telhado está agendada a atuação do organista Rui Soares, presença expressiva na cena organística nacional e também no estrangeiro. Na Igreja Matriz de Mouquim será a vez da violinista Elsa Ferrer e do organista Canco López, concertino e diretor musical, respetivamente, do experiente e reconhecido grupo espanhol “Ars Combinatoria”. A prestigiada organista micaelense Isabel Albergaria explorará com maestria as possibilidades expressivas do belíssimo órgão histórico António José dos Santos da Igreja Matriz de Ribeirão, a fechar com chave de ouro mais uma edição deste ciclo.

A iniciativa é promovida pela Associação Cultural Tagus Atlanticus com o apoio das duas autarquias.

*** Nota da C.M. de Vila Nova de Famalicão ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.