Correio do Minho

Braga,

IPCA quer ser Universidade Politécnica de excelência até 2021
Margens do Cávado Inclusivas

IPCA quer ser Universidade Politécnica de excelência até 2021

Portugueses, espanhóis e sul americanos invadem cidade

Ensino

2019-01-16 às 06h00

Redacção

Instituto Politécnico do Cávado e do Ave assinala este ano os 25 anos de existência, com os olhos postos na transformação em Universidade Politécnica até 2021. Qualidade da oferta formativa são os motivos apontados pela instituição.

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave quer ser uma Universidade Politécnica de excelência até 2021.
O desejo foi expresso pela instituição de ensino superior em nota alusiva às comemorações dos 25 anos assinalados durante 2019.
A passagem a Universidade Politécnica seria o reconhecimento da qualidade de formação, da utilidade da produção científica e transferência de conhecimento para a sociedade, além do forte contributo para o desenvolvimento sustentável da sociedade.

O IPCA foi formalmente constituído em 1994, com a aprovação do Decreto-Lei nº 304/94 de 19 de Dezembro.
Na altura dispunha apenas de dois cursos de bacharelato (Contabilidade e Finanças Públicas e Contabilidade Empresarial. Cada um dos cursos era frequentado por 37 alunos.
A actividade lectiva teve início em instalações situadas num bairro residencial de Arcozelo. Um ano depois seria aprovada a transferência de instalações para os terrenos da freguesia de Vila Frescaínha S. Martinho, onde ainda hoje está localizado.

Em Março de 2002 tiveram início as obras da primeira fase do ‘Campus’, que foi inaugurado a 19 de Dezembro de 2008, pelo então ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, José Mariano Gago.
Na altura apenas funcionava no Campus a Escola Superior de Gestão. O presidente era o professor João Carvalho, considerado o ‘pai’ do projecto.
Ainda no que se refere a infraestruturas, em Junho do ano passado foi inaugurada a Biblioteca do IPCA.
Nesse mesmo mês foi adquirido um terreno contíguo ao Campus, para a construção de um Pavilhão Desportivo e de um parque de estacionamento.
Em Dezembro passado entrou em funcionamento o edifício da Escola Superior de Tecnologia.

Neste momento, decorre também, no Campus, a construção do Mechatronics Factory Lab (M. Factory Lab), um laboratório industrial que vai proporcionar a formação em contexto prático, nas áreas da mecatrónica, mecânica, robótica e gestão industrial, a ser inaugurado este ano.
Dentro de pouco tempo a Escola Superior de Hotelaria e Turismo vai passar a funcionar na Quinta do Costeado (em Guimarães), como escola-hotel.
A Escola Superior de Design vai também mudar de instalações em breve, para um edifício do centro da cidade de Barcelos.
O IPCA dispõe, ainda, de oferta formativa (cursos técnicos superiores profissionais - Cursos TeSP) em Braga e Guimarães.

No ano passado, o IPCA passou também a funcionar no antigo CITEVE, em Vila Nova de Famalicão e, em breve, vai chegar a Esposende.
Actualmente o IPCA é frequentado por mais de 4500 estudantes, divididos pelos diferentes ursos de licenciatura, mes- trado, Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP), cursos de pós-graduação e cursos breves, leccionados nas quatro escolas: Escola Superior de Gestão, Escola Superior de Tecnologia, Escola Superior de Design e a Escola Superior de Hotelaria e Turismo.
Os projectos de investigação e desenvolvimento tem sido uma das grandes apostas do estabelecimento de ensino superior. É crescente o envolvimento de docentes do IPCA em projectos de investigação e desenvolvimento, traduzido no aumento de publicações científicas e na transferência de tecnologia.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.