Correio do Minho

Braga, terça-feira

Ligação do Parque Industrial Formariz à A3 custa 9 milhões de euros
Oposição contesta confidencialidade do contrato entre InvestBraga e Altice

Ligação do Parque Industrial Formariz à A3 custa 9 milhões de euros

Suspeito de morte de prostituta em Guimarães libertado por excesso de prisão preventiva

Alto Minho

2018-10-11 às 10h24

Redacção

Obra é lançada hoje a concurso público pela Infraestruturas de Portugal, na presença do primeiro-ministro, António Costa.

A Infraestruturas de Portugal procede hoje à abertura do concurso público para a requalificação da ligação do parque empresarial de Formariz à autoestrada A3 (nó de Sapardos).
A cerimónia, que decorre na empresa ‘Fly London / Kyaia’ conta com a presença do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro do Planeamento e das Infraestruturas Pedro Marques, além do presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura, Vítor Paulo Pereira.

Em causa está a criação de um acesso rodoviário, reclamado há vários anos, com cerca de 8,8 quilómetros de extensão. A empreitada “visa a melhoria das condições de acessibilidade, circulação e segurança” naquele troço e envolve a execução de quatro novas rotundas para beneficiação das condições de mobilidade na ligação à rede viária local, a construção de oito obras de arte e de uma ponte sobre o Ribeiro das Corredouras. A obra agora a lançar a concurso público inclui ainda a construção de dois pontões, sobre a Ribeira de Sapardos e sobre a Ribeira de Borzendes, de duas passagens agrícolas, duas passagens inferiores e uma passagem superior para peões”. A construção daquela ligação faz parte do Programa de Valorização das Áreas Empresariais lançado pelo Governo, em Fevereiro do ano passado.

Há vários anos que autarcas e empresários da região vêm reclamando a construção daquele acesso para promover a competitividade das empresas instaladas naquela zona empresarial, com mais de 25 hectares, como por exemplo o Grupo Kyaia, empresa portuguesa do sector do calçado, detentora das marcas Fly London e Foreva), implantada em Paredes de Coura há mais de 25 anos com 250 trabalhadores. Está ainda presente a Doureca, do Grupo Dourdin, do sector automóvel que dispõe de duas unidades fabris de produção e que emprega cerca de 300 trabalhadores, a ValverIbérica e a ValverPortugal, que produzem artigos plásticos e acessórios para a indústria automóvel, com 100 trabalhadores e o grupo Transcoura, que emprega 130 pessoas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.