Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Mais de duas centenas de animais adoptados
Banda Nova de Barroselas “assinou há 85 anos um compromisso com a cultura”

Mais de duas centenas de animais adoptados

Ataques desafinados, má fortuna e sol ardente ditaram nulo entre Dumiense e Brito

Mais de duas centenas de animais adoptados

Braga

2019-08-13 às 06h00

Teresa M. Costa Teresa M. Costa

No Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia da Agere, o objectivo que os animais sejam (re)acolhidos em ambiente familiar.

De pelo preto e olhar meigo, a cadela Katia foi recolhida na rua a 24 de Abril deste ano e permanece, desde então, no centro de recolha oficial de animais de companhia (CRO) de Braga, localizado em Real e gerido pela Agere. Mas Katia prepara-se para entrar para a estatística “feliz” dos animais que foram adoptados depois de ter encantado um menino chamado João Pedro, de sete anos de idade, durante uma campanha de adopção realizada pela Associação Bracarense Amigos do Animais (ABRA), num fim-de-semana, em Braga.
“É bonita e meiguinha” descreve João Pedro com Katia ao colo e disposto a levá-la para casa.

Mas antes de rumar ao concelho de Vila Verde, de onde são oriundos os candidatos a adoptantes, é preciso cumprir todos os requisitos.
Katia tem as vacinas em dia e está esterilizada, por isso, está em condições de ser adoptada.
Até final de Julho, o CRO?de Braga registou 253 animais adoptados, entre cães e gatos.
Este ano, pelo CRO já passaram 342 animais, havendo ainda trabalho a fazer para incrementar as adopções, reconhece o administrador da Agere, Rui Morais.

A mãe de João Pedro, Isabel Fonseca, soube do trabalho da ABRA por intermédio da patroa e, depois de conhecer Katia, deslocou-se ao CRO?para efectivar a adopção.
Rui Morais assume que o objectivo é sensibilizar para uma adopção responsável, daí a exigência de um conjunto de requisitos.
“Todos os anos tentamos fazer campanhas e eventos para sensibilizar contra o abandono dos animais” sublinha.
A veterinária municipal, Liliana Vaz de Carvalho, confirma que as adopções diminuem, a partir de Abril/Maio e que há um aumento do número de pedidos de entrega e de recolhas na rua até depois do Verão.

O que deve saber antes de adoptar um animal de companhia

Está preparado para um compromisso a longo prazo? A pergunta é feita pela Agere num painel destinado a sensibilizar para uma adopção responsável e afixado à entrada do centro de recolha oficial (CRO), em Real.
A Agere lembra que “os animais de companhia dependem de nós e precisam que cuidemos deles, todos os dias, durante uma vida inteira”.
Outra pergunta para a qual deve procurar resposta, antes de adoptar, tem que ver os motivos por que quer um animal de companhia. Não basta as crianças pedirem ou o vizinho ter!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.