Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Mário Nogueira mobiliza docentes para protesto
Ministro do Ambiente inaugura ponte pedonal sobre o rio Neiva que simboliza cooperação e “engrandece” municípios vizinhos

Mário Nogueira mobiliza docentes para protesto

Boccia Sénior Braga é uma aposta ganha

Braga

2019-03-15 às 09h09

Paula Maia

Manifestação do próximo dia 23, em Lisboa, promete mobilizar milhares de docentes que equacionam outra greve nacional a 5 de Outubro.

O secretário-geral da Fenprof veio ontem a Braga na tentativa de mobilizar os docentes do distrito para a manifestação nacional que terá lugar já no próximo dia 23, em Lisboa.
Mário Nogueira, que participou num plenário distrital promovido pelo Sindicato de Professores do Norte, no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, referiu as reuniões com os professores que estão a a decorrer por todo o país tem também como propósito auscultar os docentes para eventuais novas formas que têm como principal propósito a recuperação total do tempo de serviço congelado pelo governo, 9 anos, quatro meses e dois dias.

Depois da promulgação recente do diploma do governo pelo Presidente da República que repõe dois anos, nove meses e 18 dias do tempo de serviço congelado, a esperança dos professores é de que se crie agora um consenso entre os partidos na Assembleia da República no sentido de rejeitar o decreto, permitindo a recuperação do restante tempo de serviço. “Os partidos políticos, com excepção do Partido Socialista, já vieram dizer que estão favoráveis à contagem total do tempo. Esperamos agora que seja possível encontrar uma fórmula comum para fazer essa recuperação”, apontou Mário Nogueira, acusando o governo de não ter tido vontade de negociar. “Nunca exigimos retroactivos, nem que nos paguem tudo de uma vez. Estamos com uma posição flexível que vai, como vai acontecer na Madeira, até 2025, onde se pretende recuperar o tempo faseadamente, podendo não ser na carreira mas, eventualmente, na aposentação”, argumenta o sindicalista.

“Viemos a Braga já inscrever colegas para ir a Lisboa e mobilizar outros professores nas suas escolas”, adianta ainda o dirigente da Fenprof, acrescentando que os professores estão já a equacionar novas formas de luta que incidirão no terceiro período lectivo, abrangendo não só o período de aulas mas também o período de avaliações. Uma coisa parece já certa: os professores querem organizar uma manifestação nacional no dia 5 de Outubro, Dia do Professor, um dia antes das eleições legislativas. “Neste momento ela é quase inevitável para lembrar aos que acabam o mandato e aos que vão ser eleitos que contam com os professores para o que vem a seguir”, remata Mário Nogueira.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.