Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Mirandela: Aberto processo de averiguações a desaparecimento de criança no Tua - Ministério da Educação
Estafeta da Amizade reforça vertente solidária com as CERCIS de Guimarães e Braga

Mirandela: Aberto processo de averiguações a desaparecimento de criança no Tua - Ministério da Educação

Dr. House: o café que alia os bons petiscos à cultura e à arte

Nacional

2010-03-03 às 16h45

Lusa Lusa

O Ministério da Educação informou hoje que foi aberto um processo de averiguações ao caso da criança desaparecida no rio Tua em Mirandela para apurar o que 'poderá ter ocorrido no recinto da escola antes do sucedido”.

O Ministério da Educação informou hoje que foi aberto um processo de averiguações ao caso da criança desaparecida no rio Tua em Mirandela para apurar o que 'poderá ter ocorrido no recinto da escola antes do sucedido”.

O caso foi também remetido para as autoridades judiciais competentes para o efeito, segundo indicou à Lusa o gabinete de imprensa da ministra Isabel Alçada.

O Ministério da Educação refere que 'é com consternação que recebe esta notícia' e avança que tem 'no terreno meios para dar todo o apoio que, no âmbito da sua competência, a escola, a família, a comunidade educativa necessitem para ultrapassar esta situação'.

O Ministério informa ainda que 'no ano passado, a Escola Básica 2,3 Luciano Cordeiro, em Mirandela, registou apenas duas ocorrências, uma no primeiro período, outra no segundo, de injúrias a um funcionário'.

A reação do Ministério da Educação surge na sequência do desaparecimento, terça feira, no rio Tua de uma criança de 12 anos que frequentava aquela escola de Mirandela.

O caso foi associado a uma alegada situação de bullying na escola não confirmada pelas autoridades que, que acreditam na possibilidade de acidente.

Nem a escola, nem a Comissão de Proteção de Menores e Jovens têm registo de casos de bullying (atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo ou grupo de indivíduos).

O presidente da Associação de Pais, António José Ferreira, corroborou hoje a mesma informação, afirmando que neste órgão não existe qualquer queixa em relação à criança em causa.

O Ministério da Educação referiu ainda à Lusa que tem um Gabinete Coordenador da Segurança Escolar que monitoriza, dia a dia, a situação de segurança/violência, em todas as escolas do País.

'Quando haja indícios ou se identifica uma situação, é ativado um conjunto de mecanismos para, seja a nível preventivo, seja ao nível da sua resolução, dar resposta aos casos concretos', segundo o Ministério.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.