Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Moradores do quarteirão da Makro indignados com falta de estacionamento
Universidade do Minho é das mais sustentáveis de todo o mundo

Moradores do quarteirão da Makro indignados com falta de estacionamento

Polícia Municipal agredida à entrada do Hospital de Braga

Moradores do quarteirão da Makro indignados com falta de estacionamento

Braga

2019-11-17 às 06h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

Moradores do quarteirão da Makro estão indignados com a retirada de lugares de estacionamento naquela zona. Este quarteirão está ser alvo de requalificação no âmbito ‘Zonas 30’ que prevê a implementação de percursos pedonais acessíveis, focando a circulação de pessoas com mobilidade reduzida, através da implementação de passadeiras/cruzamentos sobrelevados, que funcionarão como medida de acalmia de tráfego.

Moradores do quarteirão da Makro estão indignados com a retirada de lugares de estacionamento naquela zona. Este quarteirão está ser alvo de requalificação no âmbito ‘Zonas 30’ que prevê a implementação de percursos pedonais acessíveis, focando a circulação de pessoas com mobilidade reduzida, através da implementação de passadeiras/cruzamentos sobrelevados, que funcionarão como medida de acalmia de tráfego.
Os moradores juntaram-se ontem de manhã como forma de protesto e exigirem à câmara municipal a correcção de “alguns erros” provocados pela obra que está em curso nesta zona e que tem retirado “lugares de estacionamento, provocando sérios transtornos aos residentes “, apontou um dos moradores, Fernando Silva, que vai agora entregar um abaixo-assinado à câmara municipal a pedir mais lugares de estacionamento e uma reunião urgente para pedir esclarecimentos sobre esta situação.

Fernando Silva afirma que “esta obra não serve as necessidades dos moradores, bem pelo contrário, só veio contribuir para piorar a situação com carros em cima dos passeios”. Miguel Bandeira disse ao jornal ‘Correio do Minho’ que a câmara municipal está aberta à participação dos contributos dos moradores, salientando que a obra assenta em dois princípios fundamentais: a mobilidade, privilegiando o peão e a segurança rodoviária. Miguel Bandeira admite “alguma redução no número de lugares de estacionamento, mas lembra que “esta obra visa melhorar as condições de mobilidade e segurança e isso implica a regularização do estacionamento em transgressão que é crónico por toda a cidade, e em particular neste quarteirão.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.