Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Mulher morta em violência conjugal
Requalificação de três pavilhões desportivos e intervenções em escolas preparam sucesso do novo ano letivo em Viana do Castelo

Mulher morta em violência conjugal

Braga alerta para alterações climáticas

Mulher morta em violência conjugal

Casos do Dia

2019-03-08 às 06h00

Redacção Redacção

Mais uma vitima de violência doméstica, anteontem à noite, em Vieira do Minho. Suspeito é o marido e foi detido. Vai hoje a tribunal.

Uma mulher de 39 anos de idade foi morta, anteontem à noite, em Salamonde, concelho de Vieira do Minho, num quadro de violência conjugal.
O marido, um homem de 44 anos, foi detido pela Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, depois de se ter entregue na GNR em Braga, cerca de uma hora após os acontecimentos.
A PJ de Braga, em comunicado, confirma que sobre o marido "recaem fortes suspeitas da prática de um crime de homicídio qualificado, ocorrido na área de Vieira do Minho".
A mesma fonte policial confirma a morte por esganamento.
Ontem, o advogado do suspeito, João Magalhães, afirmou à Agência Lusa que o seu cliente, quando se entregou na GNR, assumiu o crime de violência doméstica e não o de homicídio.
“O meu cliente não assumiu, nem assume, a autoria do homicídio. Quando se entregou na GNR, disse que agrediu a mulher, nunca disse que a matou”, referiu o advogado João Magalhães, à Lusa.
À Lusa, o advogado João Magalhães disse que, quando o homem abandonou o local, a mulher ainda estaria viva.
Disse ainda que no local também se encontrava o alegado “amante” da vítima, tendo sido este quem deu o alerta às autoridades.
“O que aconteceu no local após a saída do meu cliente, não sabemos”, acrescentou.
Segundo João Magalhães, o marido, na noite de quarta-feira, terá tido uma discussão com a vítima, acusando-a de infidelidade.
“A mulher ainda terá tentado tirar-lhe uma avultada quantia em dinheiro que ele tinha no bolso da camisa, houve zaragata, agressões, estaladas, após o que o meu cliente abandonou a casa”, acrescentou.
A PJ de Braga está a investigar e já realizou diligências no local.
O casal esteve emigrado cerca de duas décadas em Inglaterra e regressou a Portugal em 2017, abrindo em Vieira do Minho uma unidade de alojamento local e um restaurante.
Segundo fonte da GNR, esta força não tem nos seus registos qualquer histórico de violência doméstica em relação ao casa.
O detido, motorista profissional, vai ser presente, hoje, ao juiz de instrução criminal do Tribunal de Guimarães para interrogatório e aplicação de medidas de coacção tidas por adequadas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.