Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Orgulhosos desta “grande família”
Fernando Serrão e Vanessa Carvalho vencem Meia Maratona de Esposende

Orgulhosos desta “grande família”

Abstenção surpreendeu AG do SC braga

Orgulhosos desta “grande família”

Braga

2019-09-23 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Cerca de 300 pessoas participaram no Arraial das Freguesias, organizado pela União das Freguesias de Escudeiros e Penso (Santo Estevão e S. Vicente). O dia foi passado em Sernancelhe, Amarante e Peso da Régua e o jantar aconteceu em Escudeiros.

Nem a chuva afastou os cerca de 300 convivas que não faltaram a mais um Arraial das Freguesias, organizado no passado sábado pela União das Freguesias de Escudeiros e Penso (Santo Estevão e S. Vicente). E com “muito orgulho” já todos fazem parte desta “grande família”.
Depois de visitar o Santuário de Senhora da Lapa, em Sernancelhe, os convivas, que foram divididos em seis autocarros, passaram ainda por Amarante e Peso da Régua. A organização de uma festa destas “não é fácil”, mas “correu tudo bem”, garantiu o presidente da União das Freguesias de Escudeiros e Penso (Santo Estevão e S. Vicente), Fernando Silva.

À noite, a festa continuou com o jantar, que foi servido numa tenda montada no parque desportivo de Escudeiros. A ementa foi escolhida a rigor, tendo sido servido arroz de tomate com feijão vermelho e pataniscas.
Leonilde Antunes e Celeste Pinto foram duas das cozinheiras de serviço, fazendo questão de frisar que “nada se consegue sem o trabalho de toda a equipa”. O povo foi passear e a equipa responsável pela confecção do jantar ficou a trabalhar. “É mesmo assim e sentimos muito orgulho”, começaram por confessar as duas cozinheiras de serviço, enquanto mexiam duas panelas cheias de arroz de tomate com feijão. “Nós é que escolhemos a ementa. Nada melhor que que as pessoas chegarem do passeio e serem recebidas com uma comida tão tradicional”, atiraram.

A equipa da cozinha começou a trabalhar às 10 horas de sábado para ao início da noite ter “tudo pronto”. “O que queremos sempre é que corra tudo bem e fazemos tudo para que assim seja”, asseguraram as cozinheiras.
E os voluntários, do Grupo Folclórico Infantil e Juvenil do Carreiro, de Escudeiros, seguiam com as panelas para a tenda e serviam, com um sorriso, aqueles que aceitaram o desafio e participaram na festa.
Entre os muitos participantes, o Correio do Minho falou com Alberto Costa, da freguesia de Penso Santo Estevão.

“Participei sempre no Arraial das Freguesias”, contou aquele morador, que estava na companhia da esposa. Enquanto saboreava o arroz de tomate com feijão vermelho lá foi confidenciando que “é um orgulho” fazer parte desta união de freguesias. “Acho muito importante fazer este tipo de iniciativas para unir as freguesias e unir as pessoas e o certo é que, cada vez mais, pessoas das três freguesias participam nesta iniciativa e em todas as outras que se realizam nas três freguesias”, constatou aquele habitante, aplaudindo a “boa organização” mais uma vez deste arraial.
A animação musical também não faltou sempre com a boa disposição de Henrique Músico. E os convivas não perderam tempo em dar um pezinho de dança e de conviver. Ali já não importa a que freguesia pertencem, porque todos sentem um “orgulho enorme” em fazer parte desta “grande família”.
Para o ano, a festa termina em Penso S. Vicente.

Fernando Silva: “Já conseguimos unir as freguesias”

O dia foi de festa e acabou à mesa com muita música e boa disposição. Com mais de 300 participantes das freguesias de Escudeiros, Penso Santo Estevão e Penso S. Vicente, o presidente daquela união das freguesias não podia estar “mais feliz”. “Ver esta casa cheia enche-me de orgulho ser presidente de junta”, confidenciou Fernando Silva, perante os fregueses, deixando-lhes a certeza que o Arraial das Freguesias “vai manter-se”.
Este executivo realizou o Arraial das Freguesias, iniciativa que já existia do anterior mandato, sendo que o objectivo “é ir melhorando de ano para ano”, assegurou o presidente de junta, aplaudindo o facto de “cada vez mais pessoas das três freguesias” participarem nesta festa. “Conseguimos concretizar o objectivo para que foi criada esta actividade: unimos as freguesias”, assegurou o presidente, confidenciando que no início “não foi fácil”. “Ainda no anterior mandato, o primeiro e segundo arraiais foram mais difíceis, mas trabalhamos no senti- do de hoje ser quase que obrigatório os nossos fregueses estarem presentes e em Janeiro as pessoas já perguntam quando é que se realiza”, contou o presidente da união das freguesias.

O ano passado, depois do passeio por terras do Alto Minho, o arraial realizou-se na freguesia de Penso Santo Estevão. Este ano, depois do passeio por Sernancelhe, Amarante e Peso da Régua, o jantar/convívio, onde não faltou muita animação musical, realizou-se em Escudeiros. “Levamos seis autocarros cheios e conseguimos ter pessoas a animar cada um deles”, contou.
Todos os anos, o executivo ‘chama’ uma das associações das freguesias para ser “parceira” nesta festa. Este ano, foi a vez do Grupo Folclórico Infantil e Juvenil do Carreiro, de Escudeiros. “O objectivo é ter alguém da terra a ajudar e, ao mesmo tempo, a associação conseguir também algumas verbas para as suas actividades”, explicou Fernando Silva, sendo que os elementos do grupo organizaram o espaço onde foi servido o jantar, no parque desportivo de Escudeiros, e serviram à mesa. O serviço de bar era pago e a receita conseguida com as bebidas reverteu, portanto, para o Grupo Folclórico Infantil e Juvenil do Carreiro.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.