Correio do Minho

Braga, terça-feira

Professor acusado de abuso sexual faltou ontem ao julgamento
Presidente da Câmara entregou prémios na 9ª edição do concurso escolar António Manuel Couto Viana

Professor acusado de abuso sexual faltou ontem ao julgamento

Vizela promoveu briefing de segurança e coordenação da XII.ª Concentração Motard

Casos do Dia

2019-05-07 às 10h15

Redacção

O Tribunal de Braga começou, ontem, a julgar o professor de Educação Física acusado de abuso sexual de uma aluna de 14 anos, mas o arguido faltou ao julgamento, alegando doença.

O Tribunal Judicial de Braga começou ontem a julgar um professor de Educação Física acusado de abuso sexual de uma aluna de 14 anos, mas o arguido não compareceu à audiência, alegando doença.
O julgamento decorre à porta fechada, mas fonte judicial disse à Lusa que o tribunal, anuindo a um requerimento do Ministério Público (MP), começou a ouvir as testemunhas de acusação.
A primeira testemunha ouvida foi o pai da vítima, que é assistente no processo.

O arguido, com mais de 30 anos de serviço, era director de turma da vítima.
Está acusado, pelo MP, de abuso sexual de menor dependente, de trato sucessivo.
Segundo o MP, aproveitou-se da posição que ocupava para abusar da aluna, vulnerável devido à idade.
O alerta para os alegados abusos foi dado por colegas da vítima, face ao teor das mensagens que leram no telemóvel dela.

Uma conversa mantida entre professor e aluna através do ‘chat’ da rede social Facebook também fez soar os alarmes.
O caso foi comunicado à direcção da escola e , nesse altura, foi aberto um processo disciplinar, que culminou posteriormente com o despedimento do professor.
Um despedimento que o professor já contestou, através de uma acção que interpôs no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga.

Refira-se que respectivamente aos alegados abusos, eles terão ocorrido em inícios de 2017, tendo o professor, numa das ocasiões, e segundo a acusação, levado a aluna até um escritório, onde consumou o crime.
O pai da aluna constituiu-se também assistente no processo e pede uma indemnização de 50 mil euros.
Até ao presente momento, o arguido em questão optou sempre por não prestar quaisquer declarações.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.