Correio do Minho

Braga,

- +
Projecto ‘Canecas’ ajuda à integração de alunos com necessidades especiais
Iniciativa ‘Braga Plogging’ é para continuar

Projecto ‘Canecas’ ajuda à integração de alunos com necessidades especiais

Adoptado por alguns, o rio que nasce e percorre a cidade tem que ser de todos

Projecto ‘Canecas’ ajuda à integração  de alunos com necessidades especiais

Cávado

2019-03-14 às 12h37

Miguel Viana Miguel Viana

Comunidade do Agrupamento de Escolas Rosa Ramalho está envolvida na elaboração de canecas com motivos criados por alunos com necessidades especiais, e que podem ser adquiridas pelos peregrinos dos Caminhos de Santiago.

O Agrupamento de Escolas Rosa Ramalho, em Barcelinhos, deu ontem a conhecer os resultados de dois anos de aplicação do projecto ‘Canecas’.
Trata-se de um projecto desenvolvido no âmbito do empreendedorismo social, que tem como finalidade o desenvolvimento de competências de alunos com necessidades educativas especiais.
“Com este projecto, pretendemos desenvolver competências na área da Olaria, da produção agrícola e de chás e procuramos cruzar três eixos: inclusão, empreendedorismo social e o caminho de Santiago”, considerou Maria Paula Abreu, directora do Agrupamento de Escolas Rosa Ramalho.
O projecto consiste na elaboração de canecas de barro, pintada por alunos do agrupamento.

Até ao momento foram feitas 600 canecas, sendo que “até ao fim deste ano lectivo esperamos atingir as 700/800 canecas”, anunciou Jorge Martins, um dos coordenadores do projecto ‘Canecas’.
Ainda no âmbito da mesma iniciativa, os alunos procederam também à produção de ervas aromáticas e chás. “Para o efeito criou-se uma área verde na escola e uma estufa em que os alunos são os agricultores”, disse Maria Paula Abreu.
O projecto, indicou a directora do Agrupamento de Escolas Rosa Ramalho, tem balanço positivo.
“O projecto tem funcionado muito bem, porque criou-se uma marca, o aluno é o autor do produto que se destina a ser levado por alguém e viajar por essa Europa fora, com os peregrinos do Caminho de Santiago”, explicou Maria Paula Abreu.

Em preparação está, também, a edição de um livro redondo, associado ao projecto. “A restante comunidade escolar criou um livro redondo. Foram construídas histórias sobre uma caneca peregrina”, frisou Maria Paula Abreu. As canecas podem ser encontradas na Feira Medieval de Barcelos, na Feira de Artesanato, nos albergues de peregrinos e na galeria Leths Art, em Ponte de Lima e, a partir de 3 de Maio, no Espaço T, no Porto. O projecto já foi mostrado a estudantes da Lituânia, Polónia, Itãlia, Espanha e Roménia.
Nuno Oliveira, do pelouro da Educação da Câmara Municipal de Barcelos, realçou que a iniciativa se enquadra “com a política educativa do concelho, que não exclui ninguém” e lembrou que partiu da “comunidade educativa”.
O projecto ‘Caneca’ conta com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos e da EDP Solidária Social

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.