Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Teatro, dança e música invadem ruas de Famalicão sem carros
Arcebispo apela à ‘frutificação’ de uma sociedade mais humana e mais justa

Teatro, dança e música invadem ruas de Famalicão sem carros

Bracarense José Lopes bate recorde nacional dos 1500 livres

Teatro, dança e música invadem ruas de Famalicão sem carros

Vale do Ave

2019-09-12 às 06h00

Redacção Redacção

De 16 a 22 de Setembro, cerca de 20 instituições desportivas, culturais e sociais participam na Semana Europeia da Mobilidade. Dia Europeu Sem Carros assinala-se no dia 22 de Setembro.

Cerca de 20 instituições desportivas, culturais e sociais famalicenses vão colaborar com o Município de Vila Nova de Famalicão na dinamização da Semana Europeia da Mobilidade que se realiza entre 16 e 22 de Setembro.
No Dia Europeu sem Carros, que se assinala a 22 de setembro, as ruas do centro da cidade de Famalicão vão estar encerradas ao trânsito e vão encher-se de actividades para toda a família, transformando-se num gigantesco anfiteatro ao ar livre, com concertos musicais, aulas de teatro, demonstrações de dança, zonas de leitura, iniciativas desportivas e acções ambientais.
O comércio também sairá à rua com as suas montras participando nesta festa pela mobilidade e pela sustentabilidade.

As ruas encerradas ao trânsito são a Rua Adriano Pinto Basto (a partir do entroncamento com a Rua Daniel Santos), Rua Santo António, Topo Norte da Praça D. Maria II, Praça D. Maria II (largo em frente à Fundação Cupertino de Miranda e Alameda) e Praça 9 de Abril.
Mas as acções decorrem ao longo de toda a semana, através de uma campanha de informação e sensibilização subordinada ao tema ‘Caminhe Connosco’ e que engloba ainda a apresentação do livro ‘A Cidade das Bicicletas’ de Paula Teles, que vai realizar-se no dia 21, pelas 17.30 horas, na Casa do território, na Devesa.

Antes disso, no dia 18, o tema é adaptado para ‘Caminhe connosco na acessibilidade’ através de uma acção que pretende sensibilizar e envolver o comércio de rua e a comunidade em geral, numa reflexão sobre como tornar a cidade mais acessível para todas as pessoas. Neste âmbito, os comerciantes serão desafiados a sentarem-se numa cadeira de rodas, a circularem com carinho de bebés ou com andarilho, para verificarem as dificuldades encontradas pelas pessoas com mobilidade reduzida dentro das lojas.
Esta acção conta com a colaboração da Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP), da Associação Portuguesa dos Enfermeiros de Reabilitação do Porto (APER) e dos Agrupamentos de Escolas Camilo Castelo Branco e D. Sancho I.
Na mesma jornada, a comunidade será também convidada a colocar-se no l
ugar da pessoa com mobilidade reduzida e circular na zona central da cidade, na Praça D. Maria II e na Praça 9 de abril.
Com esta acção pretende-se alertar o cidadão para comportamentos do quotidiano que por vezes se transformam em obstaculos para as pessoas com mobilidade reduzida, como por exemplo, estacionamento abusivo em cima de passeios, entre outros. Pretende-se também contribuir para uma comunidade mais consciente e activa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.